17 de ago de 2010

Inverno: Aliado dos tratamentos estéticos!

Engana-se quem acha que no inverno é hora de relaxar e deixar os cuidados com a face e com o corpo de lado. É que nessa época do ano, há uma menor incidência dos raios solares e menor exposição ao sol, reduzindo o risco de manchas ou outros efeitos indesejados provocados durante alguns tipos de tratamento.

Além disso, os tratamentos, as técnicas e os produtos evoluíram a tal ponto que os resultados são cada vez mais eficazes e rápidos. A procura por tratamentos estéticos cresce até 80% nessa estação.

Para o corpo a estação é propícia para realizar tratamentos como a Carboxiterapia ou a Intradermoterapia, que utilizam agulhas e podem provocar manchas arroxeadas na pele, impossibilitando a exposição ao sol. Nada melhor do que aproveitar esse período do ano em que usamos roupas bem fechadas.

Outro procedimento corporal muito procurado no inverno é a Depilação a Laser, já que há risco de manchas tanto se a pele bronzeada for submetida à irradiação ou se após a aplicação da luz o paciente expor-se ao sol. Isso ocorre porque a luz laser é absorvida pela melanina, que é o pigmento escuro que dá cor ao pêlo, então se a pele estiver bronzeada vai “confundir” o laser e ele acabará destruindo as células cutâneas cheias de melanina além do pêlo.

A face é a primeira região a mostrar os sinais do envelhecimento, e o verão tem todos os ingredientes para acelerar este processo. Por isso o inverno é o melhor momento do ano para investir em cuidados especiais com tratamentos de recuperação e prevenção de manchas (hipercromias) como melasmas, efélides (sardas), ceratose actínica, melanoses, lentigos, etc., e cicatrizes de acne, rugas e flacidez.

Peelings, a hora é agora! Veja o que a Dra. Priscila (médica pós-graduanda em Endocrinologia e Medicina Estética) tem a dizer sobre o assunto:

“Para ter um bom resultado com peelings são necessárias em torno de 4 a 6 sessões, com intervalos semanais ou quinzenais, dependendo dos efeitos em cada paciente. Em uma única sessão nota-se uma melhora muito discreta perto do que se pode conseguir com o tratamento seriado. É importante procurar profissionais capacitados para realizar o procedimento, pois é preciso uma avaliação minuciosa da pele e de outros fatores envolvidos para se indicar o tipo de tratamento mais adequado a cada caso.

Muitas pessoas realizam peelings a fim de resolver problemas como flacidez ou rugas profundas e acabam se frustrando quando não atingem o resultado esperado. Isso ocorre porque foi criada uma expectativa errônea, visto que o peeling superficial ou médio (realizado em consultório) não é muito eficaz nesses casos, mas outros tratamentos estéticos trariam ótimos resultados. Além disso, o próprio peeling pode provocar manchas em alguns tipos de pele ou ainda provocar reações de hipersensibilidade em pessoas de pele muito sensível.

Tudo isso pode ser evitado quando um médico qualificado e de confiança é procurado. Ele irá avaliar seu tipo de pele, seu histórico de doenças, medicações em uso e seus hábitos de vida podendo indicar não só o melhor tipo de peeling, quando for o caso, mas também outros cuidados e tratamentos complementares para a pele. E o mais importante é que ao examinar sua pele o médico pode diagnosticar problemas como câncer de pele ou lesões causadas por doenças sistêmicas, que podem piorar com o peeling e que passar despercebidos por alguém não capacitado.

Uma vez indicado o peeling, existem diversos tipos de ácidos que podem ser usados, como o retinóico, glicólico, mandélico, salicílico, lático, pirúvico, tricloroacético, entre outros. Cada um tem suas indicações, mas todos agem da mesma forma: penetrando na pele e promovendo destruição celular com descamação e conseqüente renovação tecidual. Os resultados são: melhora de manchas, cicatrizes e rugas superficiais e principalmente do aspecto da pele que fica com uma textura mais lisa e macia, com a superfície mais regular e brilhante e coloração mais uniforme.

Os resultados obtidos não dependem apenas do médico, mas também dos cuidados antes, durante e após o tratamento, que incluem o preparo adequado da pele dias pré-peeling com o uso de cremes que permitirão melhor penetração do ácido, uso diário do protetor solar e a adoção de hábitos saudáveis como parar de fumar, rotina de cuidados diários com a pele e inclusão de substâncias antioxidantes na dieta através de alimentos ou suplementos.

Lembre-se sempre que saúde e beleza andam juntas e há muitas formas seguras de melhorar a aparência sem prejudicar sua saúde, ou melhor, de melhorar a aparência e a saúde também!”

Dra. Pâmela Rosa Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário