20 de set de 2010

Dieta das Proteínas

A famosa dieta das proteínas foi publicada pela primeira vez em 1972 pelo cardiologista norte-americano Dr. Atkins em seu livro "A Dieta Revolucionária do Dr. Atkins".

Gerou uma grande polêmica nos meios científicos ao recomendar a ingestão de grandes quantidades de alimentos ricos em proteínas, como carne, ovos e queijos, enquanto proibia carboidratos como açúcar, pão, arroz e frutas. Este seu primeiro livro vendeu em torno de 15 milhões de cópias.

Em 1990, as propostas da dieta revolucionária do Dr. Atkins ganharam um novo impulso com a publicação de outro livro "A Nova Dieta Revolucionária", que vendeu mais de 10 milhões de exemplares e ficou por 5 anos na lista dos livros mais vendidos do jornal The New York Times. Essa novidade foi chamada de dieta hiperlipídica e hiperprotéica (com elevados teores de gordura e proteína). Atualmente, é um dos mais populares e discutidos métodos de emagrecimento no mundo todo, conquistando um grande número de adeptos no Brasil.
A dieta das proteínas corta vários alimentos do cardápio e zera os carboidratos: os legumes e as frutas são proibidos e só algumas verduras são liberadas, pois muitas delas são ricas em carboidratos. Por outro lado, carnes vermelhas, frango, peixe, queijos de todos os tipos, embutidos em geral e gorduras são liberados. A gordura passa a ser a principal fonte de energia, o que gera bastante saciedade.

A dieta é rica em colesterol, podendo causar aumento dos seus níveis em pessoas predispostas. Provoca cetose (produção pelo organismo de corpos cetônicos: devido a falta de glicose, as células utilizam moléculas de lipídios e aminoácidos para gerar energia e desse processo resultam esses corpos cetõnicos que em excesso acabam ocasionando mau hálito) e cetonúria (eliminação dos corpos cetônicos pela urina). A dieta é pobre em fibras, o que pode dificultar o ritmo intestinal.

A dieta pobre em carboidratos é baseada no princípio da ação do hormônio insulina produzido no pâncreas, que tem como função colocar a glicose dentro das células para ser utilizada no momento ou armazenada no organismo. O resultado da quebra dos carboidratos no organismo é a glicose. Assim, reduzindo o seu consumo, o corpo liberará menos insulina e haverá a necessidade de utilizar outra fonte de energia que serão os depósitos gordura. O médico criador da dieta, defendia a idéia de que o corpo, na ausência de carboidratos (que fornece energia ao organismo), começa a queimar gordura que por sua vez, gera os corpos cetônicos (o que o Dr. Atkins chamava de "cetose benigna"). O indivíduo elimina muitos desses corpos cetônicos pela urina e também pelo ar expirado (o que provoca mau hálito, como dito anteriormente). Segundo o médico, a produção de corpos cetônicos atua no cérebro proporcionando sensação de saciedade.
Muitos estudos comprovam que a dieta das proteínas promove uma rápida perda de peso. No entanto, as condições sob as quais essa perda de peso ocorre ainda são muito questionáveis. Veja os principais argumentos contra essa dieta:

- Produção elevada de cetoácidos: que além de serem responsáveis por um desagradável mau hálito, elevam a amônia que, em excesso, provoca toxicidade.
- Provoca tontura, cansaço, fraqueza e prejudica a memória: um dos pontos mais questionados na dieta do Dr. Atkins é que o cérebro utiliza primordialmente os carboidratos como fonte de energia. Na ausência deste nutriente, o cérebro é obrigado a utilizar proteínas e gorduras como fonte de energia, o que implica num funcionamento mais lento e menos eficiente, provocando mal estar e desânimo.
- "Efeito sanfona": uma das conseqüências negativas da rápida perda de peso provocada pela dieta das proteínas é o indesejável efeito sanfona. Por ser uma dieta imediatista com rápida perda de peso, o corpo tende a recuperar toda a gordura depois que pessoa abandona a dieta. Além disso, o efeito sanfona traz um risco maior à saúde do que se manter sempre num peso estável. É uma agressão muito grande ao organismo.
- Alto consumo de gordura saturada: o consumo elevado de gordura (que está liberado nesta dieta), sobretudo a saturada, favorece o aumento de colesterol e pode provocar problemas coronarianos.
- Perda de peso magro: na falta de glicose o organismo passa a produzir energia através da queima de gorduras e também de proteínas, ocorrendo importante diminuição de massa muscular. A rápida perda de peso inicial dos que fazem esta dieta é enganosa, pois perde-se muito líquido e massa magra (músculos) e preserva-se a gordura do corpo, que só será queimada depois de um período.
- Não favorece a perda de peso a longo prazo: promove rápida perda de peso inicial, mas mesmo naqueles que conseguem segui-la a longo prazo, não tem demonstrado promover uma perda de peso sustentável, pois a pessoa acaba aumentando a quantidade de calorias ingeridas e recuperando o peso.

Uma perda de peso segura e sustentável ocorre desde que haja uma redução das quantidades de calorias ingeridas, correção de hábitos errôneos e adoção de hábitos saudáveis. Para tanto é necessário promover uma reeducação alimentar acompanhada da prática de atividade física, o que levará a perda de gordura sem perda de músculos e sem recuperação posterior.

Dietas muito restritivas ou desbalanceadas, não são indicadas, pois podem provocar carências e distúrbios nutricionais.
Portanto, os carboidratos continuam sendo extremamente importantes para a saúde, para a manutenção da massa muscular e para o bem estar das pessoas. É claro que, se consumidos em excesso, podem dificultar a perda de peso. No entanto, devemos ficar atentos à quantidade e tipo de carboidratos da dieta ao invés de baní-los radicalmente. Prefira sempre os carboidratos integrais (arroz, massas, pães) e os naturais (provenientes de frutas e legumes).

Como tudo na vida, a alimentação deve ser baseada no equilíbrio. Nem só carboidratos, nem só proteínas ou gorduras; mas sim um pouco de cada e vindos de fontes selecionadas e saudáveis! A dieta das proteínas é válida para períodos de tempo curtos onde se almeja uma perda de peso rápida, e quando conseguida a perda de peso planejada, a dieta deve ser imediatamente trocada por uma dieta balanceada e saudável. E claro, antes e durante o período de dieta você deve ser acompanhado e orientado por seu médico.

Dra. Priscila Rosa Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário