10 de out de 2010

Gelatina: uma doce aliada!

A tradicional sobremesa pode ser, sim, uma boa companhia na luta contra a balança.
Leve, colorida e deliciosamente refrescante, ela tem tudo a ver com o verão. E também com quem deseja enfrentar a temporada de corpo à mostra, de bem com a silhueta. Isso porque, além da sobremesa geladinha aparecer bonita na categoria de produtos saudáveis, também ajuda a emagrecer.
O segredo para tantas qualidades está na sua composição: é um alimento de baixas calorias, formado basicamente por proteínas, água e sais minerais, isento de gorduras e colesterol e, o melhor, pode ser consumido por todas as pessoas.
Um dos aspectos mais positivos na luta contra os quilinhos extras é que ela estimula a saciedade. O efeito ocorre por razões como o alto teor de aminoácidos, que age sobre o centro do apetite, como um moderador natural da fome. Como ela retarda o esvaziamento do estômago, provocando saciedade e hidratação por mais tempo, dá para evitar as beliscadas engordativas fora de hora.
Essa, porém, não é a única maneira de tirar proveito da gelatina em nome do bem-estar e da forma física: a versão diet é uma escolha vantajosa, pois é isenta de açúcar, e pode ser incluída como lanche intermediário entre as principais refeições, seja na sua versão tradicional ou batida com iogurte, leite desnatado ou suco. A praticidade do preparo, o baixo custo, as poucas calorias (a versão light tem em média quatro calorias por porção) e o rendimento são outros pontos que facilitam sua inclusão no cardápio diário.
Os benefícios se estendem para a beleza da pele, do cabelo, dos ossos e das unhas também, e tudo em razão da matéria-prima da qual se origina. A gelatina - também chamada de colágeno hidrolisado - é produzida pelo processamento do colágeno retirado da pele, das cartilagens e dos ossos de diversos animais, especialmente do boi. Graças a essa proteína, o alimento ajuda a estimular a síntese de colágeno humano, mantendo a tonicidade e a elasticidade da pele e prevenindo o surgimento da flacidez. para entender o que isso significa, basta imaginar que o colágeno constitui cerca de 1/3 de toda a proteína do corpo humano e, aos 50 anos, produzimos aproximadamente 35% da quantidade necessária para manter tudo firme e forte.
As boas notícias do consumo regular desse alimento aparecem em diversos estudos que comprovam sua importância para prevenção e tratamento de doenças, além de pesquisas que demonstram que os aminoácidos presentes são importantes para preservação de cartilagens, tendões, ossos e pele. A revista espanhola Archivos de Medicina del esporte mostra a prevenção de lesões provocadas em atividades esportivas diminuídas com o uso do colágeno hidrolisado. Já pesquisas nos Estados Unidos e na Europa comprovam que a gelatina previne dores articulares e até artroses. Enfim, o poder está comprovado e todos podem desfrutá-lo, pois a gelatina é liberada para adultos, crianças e idosos. Para turbinar os resultados no nosso corpo, a dose indicada é de dez gramas por dia, o equivalente a uma colher de sopa. Mas, atenção: a melhor opção para consumo não é aquela de caixinha, que compramos no supermercado.
A recomendada é a proteína hidrolisada, bem concentrada e com efeitos muito mais visíveis. o ideal é colocar uma colher de sobremesa da gelatina em pó em sucos, doces, iogurtes, vitaminas, musses, saladas de frutas ou até na própria gelatina industrializada. Vale ressaltar também que, apesar de todos os benefícios, não devemos basear nossa dieta em um só alimento.
Dra. Pâmela Rosa Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário