17 de out de 2010

Manipulação de imagens com o Photoshop.

Acho que todo mundo já ouviu falar do Projeto de Lei que regulamenta o uso de Photoshop na publicidade e publicações brasileiras. Longe de querer proibir, a nova lei garante que um aviso será impresso junto com as peças publicitárias e fotos que tiverem alterações via software. A desculpa, que tem ligação com o que se vem pensando na Europa, é mostrar para as pessoas que o padrão de beleza alcançado nessas imagens não é realidade, e tenta assim, prevenir o crescente número de distúrbios alimentares, principalmente em adolescentes do sexo feminino. Sinceramente, a gente fica sabendo de uma notícia dessas e acaba pensando que devem existir coisas mais importantes para nossos amados legisladores se preocuparem do que o uso do Photoshop, mas nesse momento aparece aquele pequeno fato que faz você repensar sua posição.

Um caso recente foi o da atriz Carol Castro que foi a capa da revista Boa Forma do mês de junho deste ano. Além de "sumirem" com a enorme tatuagem que a atriz leva na barriga, a imagem foi ainda mais tratada com uma recauchutagem geral no corpo da atriz. As fotos do antes e depois do Photoshop vazaram, e aí, quando o público se deparou com as fotos houve um falatório geral, e atpe aceitável, pois voltamos a falar da questão ética da coisa, onde não é respeitado o direito do consumidor de não ser enganado. A revista é voltada para o público que quer manter a boa forma. Dietas, academias e conselhos sobre nutrição são o produto vendido pela revista. Nesse contexto, colocar na capa da revista alguém que necessita de retoques digitais para vender o produto que deveria ser natural é, no mínimo, questionável.



Dra. Pâmela Rosa Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário