7 de nov de 2010

Toxina Botulínica

A toxina botulínica é uma substância produzida por uma bactéria e atua impedindo a contração dos músculos faciais que dão origem às rugas. Com a interrupção da contração, ocorre o relaxamento muscular e as rugas se atenuam.

Seus nomes comerciais são Botox®, Dysport e Prosigne.

A toxina foi inicialmente utilizada pela Oftalmologia e Neurologia para correção de contrações musculares involuntárias, e problemas como estrabismo e torcicolos.

Há alguns anos começou a ser utilizada na Medicina Estética para a correção de rugas dinâmicas (aquelas que aparecem quando movimentamos os músculos da face e que com o tempo levam à formação de vincos na pele. A toxina não elimina as rugas estáticas (aquelas que já aparecem em repouso, sem contrair a musculatura facial), para estas são necessários procedimentos como peelings e preenchimento.

Os principais locais da face onde a toxina pode ser aplicada são a região frontal (a testa), a glabela (entre as sombrancelhas) e região peri-orbitária ("pés de galinha" no canto dos olhos). A toxina é injetada em pontos específicos dos músculos responsáveis pela expressão facial que estão causando as rugas. Ela paralisa a musculatura dessa região. Pode-se também, erguer um pouco as sobrancelhas para deixar a expressão facial mais jovem, ao levantar a pálpebra superior há melhora do olhar caído, que envelhece.

Não deve ser utilizada durante a gestação e a amamentação. Os locais de aplicação podem ficar um pouco roxos, mas isso melhora em alguns dias. Também pode ficar um pouco dolorido nas primeiras horas após a aplicação, mas isso varia muito da sensibilidade de cada pessoa. Após a aplicação é recomendado que não se faça massagem na região de aplicação, para não ocorrer absorção irregular da substância (mais numa região que na outra, o que poderia acarretar assimetrias faciais).

O efeito demora de 2 a 3 dias para começar, e em 2 a 3 semanas já se chega ao seu efeito máximo, que dura em média de 3 a 4 meses. Quando a aplicação é feita por mãos responsáveis, consegue-se um efeito muito natural, sem ficar com aquele rosto inexpressivo. É importante respeitar o intervalo de pelo menos 3-4 meses (ideal 6 meses) entre cada aplicação para diminuir a chance de desenvolver anticorpos à toxina, o que pode ocorrer em alguns casos levando a uma resistência e ausência dos efeitos desejados da toxina naquele indivíduo.

Hoje já se usa a toxina preventivamente, antes de aparecerem as rugas profundas. Os resultados agradam muito os pacientes, quando aplicado por mãos responsáveis e sensatas, como já dito.

Um outro uso interessante da toxina é nos pacientes com hiperhidrose (sudorese excessiva) de mãos ou axilas. Aplica-se a toxina nesses locais e ocorre redução da sudorese com efeito durando cerca de 3-4 meses. É uma boa opção para quem sofre deste problema e não quer se submeter a uma cirurgia.

Dra. Priscila Rosa Pereira.