7 de dez de 2010

CÂNCER DE MAMA - Tratamento




O câncer de mama é uma doença crônica degenerativa, que atinge homens e mulheres por volta dos 35 anos de idade. É um mal que se desenvolve com rapidez, sendo um dos maiores responsáveis pelos índices de mortalidade feminina do Brasil.

Quando é diagnosticada a presença do câncer, o paciente sofre uma série de danos físicos. Devido à redução das atividades físicas e efeitos da cirurgia, muitos sobreviventes do câncer de mama relatam postura deteriorada, com arredondamento da parte superior das costas (cifose), ombros caídos e dificuldade na movimentação dos braços (flexão e abdução). A submissão aos tratamentos invasivos costuma ter consequências psicológicas devastadoras, sobretudo para as mulheres. A perda da mama e dos cabelos, símbolos de sexualidade e feminilidade, costuma deixar as pacientes aflitas e inseguras com o próprio corpo.

A clínica DUE oferece um recomeço de vida para estas mulheres. O tratamento inicia-se logo após a cirurgia realizada para a retirada da mama (ou parte dela). Primeiramente realizando Drenagem Linfática Manual, técnica importantíssima para o período pós-operatório, prevenindo ou tratando linfedemas que possam acometer a mama e o membro superior acometido. A técnica de Liberação Tecidual Funcional também pode ser aplicada com intuito de prevenir ou tratar fibroses e aderências localizadas na mama ou até mesmo na cicatriz, que ao sofrer estiramento, provoca dor. Nesse momento a paciente também é orientada sobre todos os cuidados que ela deve ter nesse período com higienização, atividades da vida diária que agora passam a ser feitas com preocupação, protegendo a todo momento a mama e o braço que lhe foi acometido.

Uma reabilitação corporal é montada a fim de manter ou recuperar os movimentos funcionais do corpo. Os movimentos mais acometidos são o de flexão e abdução do braço. Muitas vezes, devido à limitação desses movimentos as pacientes não conseguem fazer movimentos simples como colocar uma blusa sozinha, pentear os cabelos, etc. São preconizados exercícios de amplitude de movimento, alongamento, sensibilização de áreas possivelmente amortecidas pela cirurgia, etc.

Em qualquer fase da recuperação os exercícios do método Pilates também proporcionam suave recomeço às atividades físicas. O Pilates é capaz de restabelecer a conexão entre mente e corpo, incentivando os movimentos conscientes de cada membro e enfatizando a sensação obtida. Assegurando-se de que o instrutor é capacitado profissionalmente e que tem conhecimento sobre recuperação cirúrgica (a fisioterapeuta da DUE tem pós-graduação em Dermato-Funcional e mestrado em Cirurgia, com ênfase em cicatrização) ele pode fazer um programa específico para o paciente que está passando por este processo.

Nos primeiros passos, ensina-se ao paciente como retomar a postura ereta. Em seguida, através do reforço de volta dos exercícios, são passados exercícios de fortalecimento, para que o indivíduo seja capaz de manter essa postura.
Após a cirurgia da mama, os movimentos de ombros e braços podem ser restringidos. Com a prática progressiva do Pilates, o paciente aumenta lentamente a amplitude de movimento, respeitando o seu limite e restaurando a confiança em si mesmo.

Mary-Anne Crampton, uma sobrevivente do câncer de mama, conta que o Pilates deu-lhe força e confiança para seguir em frente. Ela duvidava seriamente que teria coragem de pisar numa academia pra fazer os exercícios que a ajudariam na recuperação dos movimentos. No meio do processo de tratamento de quimioterapia, resolveu aderir aos exercícios de Pilates.

O clima proposto durante as aulas a agradou. O Pilates é muito procurado por ter um número restrito de alunos: “Antes de tudo, eles me ensinaram a respirar de maneira correta. Eu não conseguia dormir muito bem durante a noite, e o Pilates me ajudou a lidar com a minha ansiedade e fez com que eu me sentisse melhor comigo mesma.”
Graças aos exercícios, Mary-Anne relatou que o movimento de seu braço afetado pela cirurgia era quase melhor que o outro. “O Pilates é uma excelente ferramenta de diagnóstico. Cada semana os instrutores me perguntavam ‘E aí, o que está doendo hoje?’ em seguida eles conversavam sobre o que poderia ser feito e me davam algum exercício para que eu trabalhasse nisso.”

Sem sombra de dúvidas o Pilates tem um efeito protetor na saúde feminina. A prática frequente dos exercícios favorece no desenvolvimento de uma vida saudável, um organismo fortalecido e com um risco menor de desenvolver doenças.

Pratique Pilates!

Dra. Pâmela Rosa Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário