14 de jan de 2011

5-HTP: aminoácido que ajuda a emagrecer!

O 5-HTP ou 5-Hidroxitriptofano é um aminoácido precursor do neurotransmissor serotonina e intermediário no metabolismo do triptofano.

O 5-HTP é comercializado nos Estados Unidos e outros países como um suplemento alimentar para uso como anti-depressivo, supressor de apetite e auxiliar no sono.

Ele não é exatamente uma novidade. Há 30 anos é estudado em vários países. Nos Estados Unidos, o 5HTP tem aprovação do Food and Drug Administration (FDA) como suplemento alimentar e é encontrado em cápsulas nas prateleiras das farmácias. Por aqui, ainda não passou pela avaliação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e, por isso, não pode ser vendido pronto. No entanto, por ser uma substância natural, dá para mandar fazer fórmulas manipuladas.

Ele é metabolizado em serotonina no nosso organismo por uma enzima que recebe ajuda da vitamina B6. Essa reação ocorre tanto no tecido nervoso quanto no fígado. Acredita-se que o excesso de 5-HTP, especialmente quando administrado com vitamina B6, seja metabolizado e excretado.

Acredita-se que a ação psicoativa do 5-HTP derive do seu efeito na síntese de serotonina no sistema nervoso central. Parece que uma suplementação alta de 5-HTP faz com que os neurônios produtores de serotonina no cérebro aumentem a sua síntese e liberação.

O 5-HTP é encontrado em quantidades muito pequenas em alguns alimentos como carne de peru e queijo, e pode ser usada suplementação alimentar. Como suplemento alimentar a fonte do 5-HTP é geralmente a semente da Griffonia simplicifolia (um legume africano). O suplemento de 5-HTP é geralmente vendido em cápsulas de 50mg ou 100mg.

Um estudo mostrou que o 5-HTP é tão eficiente quanto a Imipramina no tratamento da depressão. Pesquisas atuais mostram ser promissor o seu uso para tratamento de crianças com terror noturno (distúrbio do sono caracterizado pelos gritos acompanhados de semblante de terror como se a pessoa estivesse vendo algo terrível durante o sono). Depois de 6 meses de uso, 83,9% das crianças tratadas com 5-HTP livraram-se do terror noturno.

Alguns portadores de fibromialgia acharam que seu uso aliviou os sintomas. Eles reportaram melhora no sono, na depressão, nas dores e em todas as grandes queixas relacionadas à doença. Estudos sobre o uso do 5-HTP para a fibromialgia ainda estão em curso.

A substância também é usada profilaticamente contra dor de cabeça crônica (enxaqueca) uma vez que estudos têm mostrado que a ocorrência das crises têm relação com deficiência nos níveis de serotonina.

O 5-HTP também tem mostrado ter efeito como supressor de apetite. A serotonina alta minimiza os ataques incontroláveis de gula e, por isso, os assaltos à geladeira ficam mais raros. A falta desse neurotransmissor no cérebro está intimamente associada à compulsão alimentar e ao aumento do desejo de massas e doces. O 5HTP também favorece a liberação da leptina, hormônio da saciedade. Essa ação é mínima, mas valiosa para quem tem muito apetite e precisa emagrecer. E mais, melhora a qualidade do sono e combate os sintomas da TPM. Afinal, quem não quer uma forcinha para se controlar diante de um chocolate nos sias que antecedem a menstruação?

A maioria dos fabricantes de suplementos com 5-HTP recomenda 50 ou 100mg, de 1 a 3 vezes ao dia. A maioria dos estudos clínicos tem testado doses de 200-300 mg/dia, embora um estudo tenha testado doses tão altas como 3.250 mg/dia. O consumo de 5-HTP com outras proteínas e aminoácidos diminui sua absorção no trato digestivo. Síndrome serotoninérgica (um quadro grave que pode ocorrer com o uso de algumas medicações que elevam os níveis de serotonina) não foi observada nos vários estudos. Alguns usuários de 5-HTP reportaram que doses maiores de 300 mg/dia podem produzir náusea e vômito. Altas doses de 5-HTP poderiam causar danos ao fígado.

Os efeitos são sedutores. Mas cuidado! A substância não é pra todo mundo. Se você toma anti-depressivos, esqueça! A combinação do 5-HTP com esse tipo de medicamento provoca confusão mental. Gestantes e lactantes também devem evitar. Antes de usar essa ou qualquer medicação, consulte seu médico, pois só ele pode definir a dose e tempo de uso, além de acompanhar o tratamento. Há o risco de o produto provocar náuseas e problemas gastrointestinais, especialmente se ingerido numa dose inadequada. Não vale arriscar!

Dra. Priscila Rosa Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário