16 de jan de 2011

Dietas super restritivas: cuidado!

Inúmeras dietas, cada uma com um nome diferente, chegam à mídia a toda a hora. É a da sopa, da Lua, do limão, da proteína, enfim: uma série de promessas para emagrecimento rápido que podem prejudicar, e muito, a saúde das pessoas.

Há quem consiga perder vários quilos em uma semana. E de que adianta esse feito se a pessoa não vai conseguir manter esse regime militar por muito tempo? Nem adianta comprar roupas novas porque logo deixarão de servir. Ainda por cima você ganhará um corpo flácido e cheio de estrias pelo emagrecimento repentino, juntamente com queda de cabelo, palidez e possivelmente uma anemia. Isso sem falar na mudança de humor e no cansaço e falta de disposição. A tendência é a volta do antigo peso à balança e pior, com uma pele flácida e com estrias por cima da gordura. Infelizmente a verdade é que as dietas temporárias, especialmente as mais restritivas, estão destinadas ao fracasso, com a consequente recuperação do peso perdido.

Quando se faz uma redução muito drástica da quantidade de alimento ingerido, ocorre, no organismo, uma redução dos níveis de leptina (hormônio produzido no tecido adiposo que leva sinais de saciedade ao cérebro) e um aumento nas concentrações de grelina (que envia sinais de fome).

Assim, se a grelina estiver aumentada, a tendência é que a pessoa coma mais em uma próxima refeição. Somado a isso, o organismo também tende a reagir ao período de privação, armazenando os alimentos com mais facilidade, ele diminui o metabolismo basal deixando todas as reações de seu corpo mais lentas para "economizar" energia, já que ele entende que você está tendo dificuldade de obter comida.


É isso mesmo, infelizmente seu cérebro possui vontades próprias e ele não entende que você quer emagrecer e por isso está comendo pouquinho. É como se o cérebro achasse que você está no meio do deserto, numa situação de emergência e correndo perigo de vida, com pouca comida disponível e que por isso, é melhor ele aumentar o armazenamento de tudo que você comer (estocar em forma de gordura). Terrível não? E ele também vai reduzir os gastos energéticos com as reações químicas do organismo para poupar suas reservas. Isso é uma coisa muito boa na verdade, pois é um mecanismo de sobrevivência.

Então, é importante que você entenda que esse resultado imediato de perda de peso será revertido em breve. Isso é um mecanismo fisiológico de seu organismo e não tem como ser evitado. O único jeito de manter a perda de peso alcançada com uma dieta assim, a longo prazo, é manter uma baixa ingesta calórica (através de uma dieta equilibrada para não ocasionar doenças) ou aumentar o gasto energético através de atividade física, ou seja, no fim das contas você vai voltar para o ponto onde deveria ter iniciado seu processo de emagrecimento: dieta hipocalórica balanceada e atividade física mantidas.


Outro alerta se refere às fórmulas para emagrecimento, que podem ser mais perigosas. Isso porque, contrariando a recomendação da Associação Médica Brasileira e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, frequentemente essas formulações associam de 15 a 30 itens diferentes, entre eles, medicamentos que não podem ser usados em conjunto, como anorexígenos e benzodiazepínicos (calmantes). Além de laxantes e diuréticos que podem deixar a pessoa desidratada e fraca, além de ocasionar perda de minerais e vitaminas levando a perda de massa óssea e sintomas como taquicardia, arritmias, entre outros.

Por outro lado, é preciso combater o excesso e peso da forma correta já que a obesidade é também fator de risco para doenças como hipertensão, diabetes, alguns tipos de câncer, refluxo esofágico, cirrose, varizes, entre outros. Muitos acham que se as dietas e medicações podem causar tantos problemas é melhor deixar pra lá e nem tentar emagrecer. Mas e as doenças e problemas que você vai ganhar com o excesso de peso?

Nem adianta tratar afoitamente, com dietas super restritivas onde se come quase nada num dia e nem adianta não tratar e simplesmente deixar o problema evoluir. Deve-se ter em mente que o tratamento é longo, progressivo e contínuo e que os resultados aparecerão com o tempo, trazendo mais saúde. Quer benefício melhor que este? Bom, de sobre você ainda terá um corpo bonito pra se orgulhar e melhorar sua auto-estima.


Dra. Priscila Rosa Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário