12 de jan de 2011

Regule suas taxas sem medicação - PARTE 4- GLICEMIA


Glicemia


O que é: a taxa indica a concentração de glicose (açúcar) no sangue e é considerada normal se estiver entre 60 e 99 mg/dL. Em linhas gerais, quem obtém muito açúcar da alimentação desenvolve resistência a um hormônio chamado insulina, produzido pelo pâncreas. E é justamente a insulina a responsável por empurrar a glicose para dentro das células para que seja usada, ali, como fonte de energia. Porém, quando esse processo não acontece como deveria, a glicose passa a se acumular no sangue e seu excesso é eliminado pelos rins, através da urina, antes que o organismo consiga utilizar a substância como um importante combustível para suas atividades. Por isso mesmo, o desequilíbrio nos níveis de glicose pode comprometer o funcionamento dos rins, além de acarretar outras consequências sérias, como problemas de visão e de coração, incluindo o infarto.


Como controlar: o ideal é que a dieta seja fracionada e balanceada. Toda vez que nos alimentamos, a glicemia tende a disparar, desencadeando o aumento da secreção de insulina. Então, não convém fazer longos períodos de jejum e é altamente recomendável que se evite comer muito em cada refeição. Essa é uma saída eficiente para evitar crises de hiperglicemia, quando a glicemia aumenta de maneira súbita no sangue, elevando os níveis de insulina e causando mal-estar.


5 alimentos que não podem faltar na sua dieta: pêssego, feijão carioca, morango, maçã com casca e amendoim. Por que fazem bem: o pêssego é fonte de minerais, carotenoides e os polifenóis, substâncias reconhecidas as suas funções no controle da glicemia. Já o feijão contém pectinas e gomas que diminuem a absorção do açúcar. O morango, além de antioxidante, é uma das frutas que possui os mais baixos teores de açúcar em sua composição. As fibras insolúveis, contidas na casca da maçã, melhoram o funcionamento intestinal, arrastando o excesso de glicose para fora. Por fim, o amendoim é cheio de proteínas e de gorduras monoinsaturadas, e não contribui para elevar o índice glicêmico.


O que cortar: embutidos, enlatados, carnes gordas e excesso de carboidratos simples, como refrigerantes e doces, massas feitas com farinha branca, arroz branco e bebida alcoólica. Por que fazem mal: As massas e os doces são capazes de aumentar muito rapidamente a glicemia, favorecendo crises. Já o álcool pode conduzir a hipoglicemias severas, quando o excesso de insulina também acarreta mal-estar. Ambos os quadros favorecem o descontrole do diabetes.


Dra. Pâmela Rosa Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário