21 de fev de 2011

Rosto jovem com carboxi

Entre os procedimentos estéticos não definitivos, a aplicação de toxina botulínica é o que encabeça a lista de pedidos nos consultórios em todo o mundo, segundo a Sociedade Americana de Cirurgia Plástica e Cosmética (Asaps). No Brasil, isso não é diferente. A toxina está completando 20 anos de uso para fins estéticos.

Mas desde que uma revista americana trouxe na capa a cantora Ashlee Simpson com a manchete: “Botox aos 23”, falando sobre celebridades como Britney Spears e Jessica Biel que também aderiram às picadas desde muito cedo, outro assunto veio à tona: garotas tão jovens devem recorrer à toxina para combater as rugas?

Se antes a maioria das mulheres que passava pelo procedimento tinha entre 40 e 50 anos, hoje essa faixa etária começa na casa dos vinte e poucos anos. Elas buscam o procedimento para a prevenção, pois não querem esperar que as marcas do tempo apareçam para então tratá-las.

Muita gente que antes criticava, acabou se rendendo à técnica. Isso porque hoje em dia sabe-se que a substância é muito segura e surgiram novas técnicas de aplicação, onde o profissional bem treinado consegue avaliar a necessidade de cada paciente, garantindo resultados mais naturais. Chega daquela cara de espanto, com sombrancelhas espetadas ou um rosto congelado e sem expressão. Consegue-se resultado bem mais natural e suave, na verdade, quem não sabe que você usou só vai achá-la "diferente" (mais bonita), sem saber apontar aonde está a diferença.

Devido a essa maior naturalidade no efeito, mulheres mais jovens aderiram à técnica para paralisar os músculos que vincam a pele antes que o vinco se torne definitivo. Escolha inteligente: tratar as rugas dinâmicas (aquelas que só aparecem quando você faz expressões faciais) de hoje, para prevenir as rugas estáticas (aquelas que ficam fixas mesmo com o rosto relaxado) de amanhã.

Basta observar que o perfil das freqüentadoras de uma clínica estética hoje em dia, para ver que as mulheres estão se preocupando com a beleza cada vez mais cedo e buscando prevenir problemas futuros.

Tamanha a preocupação com a beleza entre as jovens, fez o governo do estado de Queensland, na Austrália, começar a discutir a criação de uma lei que estabelecesse a idade mínima de 18 anos para colocar prótese de silicone, fazer lipoaspiração e aplicar toxina botulínica. Exageros à parte, mais do que definir a hora certa de recorrer ao poder da toxina, o importante é cada mulher ter bom senso para analisar se precisa mesmo. Ou na dúvida, procurar um médico que tenha bom senso para avaliá-la e dizer a verdade. Bom, não dá para negar que um pé-de-galinha assusta a gente não é?

O bom profissional fará uma avaliação dinâmica de sua face e suas expressões faciais e aplicará a toxina na região em que você mais precisa, numa dose de acordo com a sua musculatura. Como sabemos a duração do efeito pode variar, quanto mais forte a musculatura a ser tratada, menos tempo a toxina ficará atuando.

Às vezes, um problema que ocorre, é que o profissional aplica a toxina tão diluída que o efeito não dura quase nada! Por isso, independente da sua idade, procure um profissional de sua confiança para ter certeza que ele fará a diluição correta e analisará suas expressões de uma maneira individualizada, aplicando a dose certa nos locais necessários.

Não há realmente nenhuma contra-indicação em iniciar as aplicações na juventude. Não existe uma idade mínima, na verdade, assim que surgirem as primeiras rugas dinâmicas já é possível iniciar a prevenção.

Dra. Priscila Rosa Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário