21 de abr de 2011

Governo inglês dá desconto para estimular alimentação saudável

O governo britânico apresentou neste domingo um plano de 250 milhões de libras (390 milhões de dólares) financiado pela indústria para promover a alimentação saudável no país. A meta é fornecer a milhões de pessoas tíquetes que dão direito a descontos na compra de alimentos saudáveis.

O governo de coalizão está promovendo o esquema como parte do programa Change4Life, que tem como objetivo combater o elevado percentual de obesos na população por meio de estímulos para consumo de alimentos saudáveis e para exercícios físicos.

Entretanto, alguns especialistas acusam as fábricas de alimentos de usar o programa para melhorar sua imagem.

Milhões de pessoas na Inglaterra receberão tíquetes que dão direito a descontos de 50 libras na aquisição de alimentos como iogurtes de baixa caloria, arroz integral, vegetais congelados, frutas e cerveja sem álcool.

O jornal semanal "The News of the World", da empresa News Corp, do magnata Rupert Murdoch, vai distribuir 3 milhões de cartelas com vales, enquanto o Asda, braço britânico da varejista norte-americana Wal-Mart, distribuirá 1 milhão de tíquetes, e grupos comunitários, mais 1 milhão.

Os vales dão descontos em produtos de empresas do ramo alimentício, como Kellogg's, Unilever e Nestlé, além de algumas marcas próprias do Asda e tênis da rede de artigos esportivos JJB Sports.

O secretário da Saúde, Andrew Lansley, disse que o esquema é um "grande exemplo de como o governo, a mídia, a indústria e os varejistas podem trabalhar em conjunto para ajudar as famílias a serem saudáveis."

Mas Tim Lang, professor de política alimentar na Universidade de Londres, questionou a motivação das empresas alimentícias.

"Essa é uma estratégia de saúde pública? Não, é uma estratégia de proteção de marcas corporativas," disse ele à BBC.

Tam Fry, membro do conselho do Fórum Nacional da Obesidade, criado por médicos para destacar as consequências da obesidade para a saúde, definiu o programa como um passo na direção certa, mas afirmou ser uma medida de curto prazo demais para mudar a mentalidade das pessoas sobre a comida.

A campanha Change4Life foi originalmente lançada em 2009, pelo governo anterior, do Partido Trabalhista, afirmando na época que, se o programa fracassasse em sua meta de reduzir a obesidade em três anos, então as autoridades poderiam estudar a regulamentação da indústria de alimentos.

(Fonte: Folha.com)

Como várias outras medidas governamentais que postamos aqui no blog em matérias anteriores, essa vem com boa intenção. Já que as pessoas não preferem alimentos saudáveis por saber que eles lhe farão bem e pouparão problemas futuros, que escolham esses alimentos pelo benefício secundário do desconto. Não acho uma coisa ruim, mesmo sabendo que pode e deve envolver benefícios às empresas contribuidoras.

Mas afinal, não foi o marketing na direção oposta que levou as pessoas a consumirem tanto fast food e chegarem a situação de obesidade mundial que temos hoje? Os fast foods criaram tantos benefícios secundários agregados aos seus produtos como brindes para crianças, personagens animados, drive-thru, etc, para atrais clientes que cegamente esse foi se tornando o tipo de alimentação preferida da maioria sem que houvesse um questionamento sobre isso. Se você vai comer frutas, saladas e alimentos frescos porque estão com descontos ou por outro motivo não me importa, os benefícios que els lhe trarão serão os mesmos.

Dra. Priscila Rosa Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário