9 de abr de 2011

Xeomin: a nova toxina botulínica

As adeptas da toxina botulínica acabam de ganhar mais uma opção. Está chegando ao Brasil o Xeomin (pronuncia-se "Zeomin"), uma toxina botulínica desenvolvida na Alemanha pelo laboratório Merz e que vem reforçar o time anti-rugas.

Sua ação é igual à das já disseminadas toxinas do tipo A, Botox e Dysport: relaxa a musculatura, melhorando o aspecto das rugas e linhas finas, e o resultado dura entre 3 e 6 meses. Pode ser aplicado no terço superior (testa, entre as sobrancelhas e na lateral dos olhos), no terço médio (nariz) e na parte inferior (queixo, mandíbulas, pescoço e colo) do rosto.


Uma das particularidades do Xeomin está na sua composição. Livre dos complexos proteicos existentes nas outras toxinas, a nova substância tem a promessa de evitar que o efeito diminua com o uso contínuo. A chance de se formarem anticorpos neutralizantes seria menor do que com as outras toxinas. Isso significa, que não teria o risco de, com seguidas aplicações, o músculo oferecer resistência à toxina, tendo menor resultado, o que pode acontecer com as outras.

Na verdade, sabe-se que o que ocorre com as outras toxinas é que por fatores individuais do próprio paciente, ele pode sim, produzir anticorpos que diminuam o efeito dela. mas isso pode ocorrer após tempos de uso, ou mesmo com poucas aplicações. Não é um problema do produto e sim do organismo de algumas pessoas. Não se sabe quem vai ou não ter essa "resistência". Sabe-se que nas pessoas que fazem aplicações muito frequêntes, o risco de desenvolvimento de anticorpos é maior. Por isso o ideal é dar um intervalo de no mínimo 6 meses entre uma aplicação e outra.

Há quem faça o tratamento e ache que ao longo do tempo o efeito não é mais o mesmo. Na verdade, o que acontece é que acabam surgindo mais rugas com o passar do tempo, que são conseqüência do envelhecimento natural. Pois este, infelizmente, não para! Nesse caso, o efeito das aplicações de toxina não serão mais os mesmos de quando a pessoa era mais jovem, e nesse momento pode-se avançar para um procedimento mais invasivo.

Apesar das controvérsias, a nova substância tem uma vantagem em relação às rivais que é o fato de a paralisia do músculo com o Xeomin começar 24 horas após a aplicação, enquanto as outras toxinas costumam demorar até três dias. Ele é indicado a partir dos 35 anos ou ao surgirem os primeiros sinais de envelhecimento. Há restrições de uso para gestantes e mulheres que acabaram de dar à luz. E não é recomendável associar o Xeomin a outras toxinas.

Novidades são sempre bem vindas, mas temos que ter muito cuidado com as "promessas milagrosas" que produtos recém-lançados trazem. Às vezes é apenas uma questão de marketing para conquistar o público. Por isso, vamos ter calma e observar quais reais benefícios esta toxina pode nos oferecer.

A verdade é que em matéria de esticar o rostinho ainda não há nada melhor que a toxina botulínica. O efeito é incrível, quando bem aplicada claro!

Dra. Priscila Rosa Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário