29 de mai de 2011

Alimentos ajudam a melhorar o intestino preso


Você sabia que a palavra “enfezado” vem de “fezes”? É que, quando alguém está com o intestino preso, costuma apresentar também mau humor.


Cerca de 20% da população brasileira tem esse problema, que atinge mais as mulheres. O intestino delgado tem cerca de 7 metros e absorve tudo o que se come. O que não é aproveitado cai no intestino grosso, que tem 1,5 metro de comprimento e absorve o restante da água. É nesse lugar que se formam as fezes, que levam de 48h a 72h para serem eliminadas após a ingestão. Por isso, o ideal é fazer cocô diariamente ou dia sim, dia não.


Nesses períodos de intestino preguiçoso, além de afetar o ânimo, há uma sensação de irritabilidade, inchaço e estresse, que pode ser acompanhada de dor e desconforto. A tensão só diminui quando a situação se normaliza. Para isso, uma dica é super valiosa: alimentação saudável. Esse é o segredo para o organismo funcionar bem.


Muitas pessoas apelam para uma dieta intensiva de frutas, verduras e fibras, na tentativa de regular esse “reloginho”. Outras apostam na linhaça, ameixa, aveia, em sucos, chás e, em último caso, remédios.


Os alimentos que podem ajudar um intestino preso são:


- Frutas como mamão papaia, laranja, ameixa preta seca e abacaxi seco;

- Legumes e verduras como alface, couve, couve-flor, repolho verde, tomate, cenoura, mandioquinha, ervilha, milho, grão-de-bico e feijão preto;

- Alimentos integrais, como pão francês, arroz e biscoito;

- Fibras como barra de cereal, cereal matinal e farelo de trigo;

- Amendoim;

- Iogurte regulador da flora;

- Água;

- Azeite de oliva


Já os itens que podem dificultar são:
- Fast-food;

- Salgados, como coxinha, empadinha, esfiha e batata frita;

- Doces como chocolate, brigadeiro, quindim, pão doce, sorvete e sonho;

- Açúcar;

- Pão francês;

- Refrigerante;

- Suco de caixinha

É fundamental ter um horário fixo para ir ao banheiro. Os reguladores de intestino, que são uma fonte de fibras sintéticas, só devem ser tomados após fazer todas as tentativas com alimentos. É que tanto esses produtos como os laxantes prejudicam o corpo a longo prazo, pois o tornam dependente, demandam cada vez mais doses e, por fim, não fazem mais efeito.


Dra. Pâmela Rosa Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário