6 de mai de 2011

Como fugir do estresse crônico?


Como se diz por aí, vivemos num mundo em que é preciso matar um leão por dia. Somos exigidos demais pelo emaranhado da vida em todos os níveis: trabalho, família, sociedade. E não é raro sermos também nossos próprios carrascos, tentando sempre romper limites que nós mesmos nos impomos. Graças à parafernália tecnológica, a violência do mundo invade nossa vida com a facilidade. A tensão se torna permanente também dentro de nossos lares. Até a diversão é movida a adrenalina, dos jogos de computador aos filmes de ação. Isso torna a rotina muito mais desgastante. No estresse prolongado, a produção excessiva de cortisol danifica as glândulas adrenais.


Sem controle, o problema torna-se crônico e o corpo entra em exaustão. As glândulas se atrofiam tanto que não conseguem produzir cortisol suficiente para manter a saúde. O organismo torna-se debilitado e abre as portas à maioria das doenças. Dependendo do grau de estresse, é importante o acompanhamento médico, bem como o uso de antioxidantes e fitoterápicos para fortalecer as glândulas adrenais.


Deve-se evitar alimentos alergênicos, como o café e alguns chás, pois eles possuem cafeína e podem sobrecarregar o organismo em sua digestão e eliminação. Fique atento aos sintomas clássicos: fadiga constante e necessidade de dormir mais; irritabilidade, ansiedade e baixa libido; dores, gripes e resfriados recorrentes; tonturas, tremores e sudorese; sensibilidade extrema a frio e calor; descoloração da pigmentação da pele; queda de cabelo corpóreo; má digestão e assimilação.


Para facilitar o controle do estresse, é preciso tomar cuidado com a alimentação. Ter uma boa nutrição, ou seja, consumir os alimentos de acordo com o seu tipo metabólico ajuda a aproveitar melhor os nutrientes geradores de energia. Há indivíduos que precisam mais de proteínas e gorduras, outros que necessitam de mais carboidratos. Ainda existe um grupo de pessoas que se bem quando tem uma alimentação equilibrada entre todos esses macronutrientes. Quando um indivíduo se alimenta em desacordo com o seu tipo metabólico, ele acaba gerando mais estresse para o organismo, predispondo e acentuando os sintomas de estresse, além do ganho de peso e outros problemas. Somado a isso, os sintomas que a má digestão desencadeia, roubam energia do organismo, aumentando a irritabilidade e o estresse. Além disso, fazer exercício também é muito importante para controlar o estresse. A atividade física aumenta a sensação de bem-estar e relaxamento, que se prolonga durante todo o dia.


É importante sempre deixar claro que, em caso de dúvida ou se os sintomas continuarem existindo, é bom que um médico seja consultado para diagnosticar e tratar o problema da melhor maneira possível.


Dra. Pâmela Rosa Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário