7 de mai de 2011

Malhação online coloca saúde da população em risco


Não é raro ver sites de saúde e boa forma na internet que contam com programas de treinamento físico online para que você possa ter o corpo dos sonhos em pouco tempo, malahndo muitas vezes até em casa e sem gastar 1 real. Seguir dicas sobre treinamentos de musculação encontradas em sites é um risco à saúde.


Um estudo foi feito sobre 15 programas virtuais de exercícios. Todos prometiam resultados rápidos, mas escondiam uma ameaça ao organismo. Foram encontradas instruções para os três tipos de treinos de musculação existentes: para ganho de força, para aumento do tamanho dos músculos e para desenvolvimento da resistência. Entre os erros flagrados estão a “sugestão” para troca constante de pesos nos equipamentos e a ordem para que o internauta siga seu instinto na hora de praticar os exercícios. PODE???


Um programa que teria sido elaborado pelo ator Lou Ferrigno, do seriado Incrível Hulk, foi um dos modelos analisados pelo estudo realizado por Luigi Guimarães, graduado em educação física. - Não dá para saber se o autor é profissional ou leigo. Ainda que seja uma pessoa com formação na área, todos os programas são condenáveis pela forma como colocam os exercícios. Para atingir o maior público possível, generalizam muito. - conclui o autor.



Individualidade tem que ser respeitada! A falta de orientações específicas para a necessidade de cada pessoa é o maior problema identificado pelos profissionais. Um profissional qualificado tem papel fundamental nos resultados que você irá obter com a prática de atividade física: apontando os exercícios ideais para o objetivo do aluno, sem que a pessoa desenvolva problemas na postura, nas articulações ou até cardíacos. Todo mundo acha que sabe malhar sozinho, mas não é assim tão simples. É preciso ter conhecimento na área. É só lembrar que esse tipo de profissional cursa 4 anos de graduação, especializa-se em torno de 2 anos de estudo e vive em constante atualização através de cursos.


Dra. Pâmela Rosa Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário