4 de jun de 2011

Governo dos EUA divulga lista de orientações alimentares para a população

Os americanos precisam reduzir o consumo de sal, comer menos e ingerir mais frutas e verduras, segundo as novas orientações de alimentação do governo dos EUA.

Outros conselhos são substituir bebidas com açúcar por água e preferir alimentos com grãos integrais.

Nos EUA, mais de 1/3 das crianças e 2/3 dos adultos estão acima do peso.

É importante que as pessoas recebam orientações que as ajudem a lidar com o problema da obesidade e saber por onde começar as substituições e correções quando elas estão a fim. Essas novas recomendações de dieta dão informações para que as pessoas escolham alimentos mais saudáveis, nas porções certas e complementem essas escolhas com atividade física.

O anúncio feito recentemente pelo governo americano contém 23 recomendações para o público em geral e seis para grupos específicos, como grávidas.

As orientações gerais incluem evitar porções "supersized" (extragrandes), muito comuns nos EUA. É claro que lendo isso tudo, parece meio óbvio. Será que alguém tem que falar que é bom trocar refrigerante por água, comer menos quantidade e mais tipos de frutas e verduras em vez de alimentos gordurosos e ricos em açúcar? Parece que não é algo muito surpreendente...mas por incrível que pareça, tem gente que realmente não tem consciência dessas coisas.

Outras iniciativas do governo americano no combate à obesidade são:

- A primeira-dama americana, Michelle Obama, tem liderado iniciativas para ajudar os estudantes do país a perder peso.

- Fabricantes de alimentos e bebidas anunciaram, na semana passada, novos rótulos que deixam mais claros os conteúdos de calorias, gorduras, sódio e açúcares. Mas críticos da medida dizem que os novos rótulos não ajudam a distinguir entre nutrientes "bons" e "ruins".


Como já falei outras vezes, se conscientizar e fazer com que as pessoas entendam o por quê devem comer melhor não está surtindo efeito, o jeito é fazer com que elas comem melhor por falta de opções tão calóricas ou por publicidade ou por benefícios secundários...tudo é válido!



E aí Brasil, vamos imitar os EUA??

Dra. Priscila Rosa Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário