11 de jul de 2011

Roacutan (isotretinoína): ação anti-envelhecimento!

O Roacutan, remédio muito usado contra acne, também pode rejuvenescer a pele.

Alguns testes sugerem que a isotretinoína diminui as rugas e estimula a produção de colágeno.

A corrida contra as imperdoáveis marcas do tempo tem estimulado a descoberta de fórmulas cada vez mais eficazes para melhorar a aparência e garantir um rosto mais jovem. Um dos mais recentes achados, de autoria da dermatologista Célia Kalil, da Santa Casa de Porto Alegre, foi publicado na revista científica Skin Med.

O estudo da brasileira sugere que a isotretinoína, principal substância no tratamento de espinhas, também pode funcionar para rejuvenescer a pele. A idéia de testar os efeitos dessa substância como ativo anti-idade surgiu, segundo a médica, após observar uma melhora significativa na qualidade da pele das suas pacientes submetidas ao tratamento contra acne.

Célia decidiu, portanto, avaliar os efeitos do medicamento em 30 mulheres, com idades entre 45 e 60 anos. A médica teve o cuidado de usar uma dose menor da substância. No lugar de 2 ou 3 cápsulas por dia, indicadas para acabar com a acne, as pacientes ingeriam 20 miligramas da isotretinoína, via oral, 3 vezes por semana.

A escolha da idade das participantes também foi proposital para diminuir o risco de uma gravidez durante o tratamento - uma vez que um dos efeitos conhecidos da isotretinoína, caso seja aplicada durante a gestação, é a malformação do bebê.

Além disso, nenhum outro procedimento para rejuvenescer a pele foi permitido, como o uso de toxina botulínica ou ácido retinóico. Foram recomendados, porém, cuidados como protetor solar e labial.

Os resultados foram analisados por meio de biópsias e fotografias da pele das voluntárias. E, segundo a pesquisa, foi observada uma melhora das manchas e textura da pele, além de uma diminuição das rugas, em 80% dos casos. E mais: em 67% das participantes houve maior produção de colágeno, proteína responsável pela sustentação da pele.

"Já no primeiro mês era possível notar a diferença", comemora a dermatologista Célia. Essa diferença, de acordo com a médica, provavelmente está relacionada à forma de aplicação da substância. O ácido retinóico tópico, por exemplo, comum nos cremes anti-idade, age somente na região aplicada. Já a ingestão oral da isotretinoína, derivada da vitamina A, atinge todo o corpo.

Outro diferencial é o tempo de duração dos efeitos. De acordo com a médica, as pacientes envolvidas nos testes interromperam o uso do medicamento após 3 meses, mas os benefícios para a pele puderam ser observados até um ano depois. Célia diz que isso não ocorre com o ácido retinóico - queridinho da indústria da beleza -, que precisa ser aplicado periodicamente para manter o resultado.

A dermatologista Meire Prada, da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), também já estudou a ação da isotretinoína na pele e acredita que os resultados são relativos. "Um único trabalho não é suficiente para considerar o produto eficaz", acredita. "Por enquanto, a substância é aprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) apenas para o tratamento da acne, não para o rejuvenescimento cutâneo", alerta.

Um dos riscos de um tratamento via oral com a isotretinoína, segundo a dermatologista, é afetar o funcionamento do fígado. "Como a substância é metabolizada nesse órgão, exames hepáticos são obrigatórios durante o uso do produto", ressalta a médica.

A dermatologista Denise Steiner também adota esse tratamento em sua clínica. "Mas, apenas após exames, como de colesterol e função hepática, para certificar-me de que não haverá problemas", garante. "O resultado para rejuvenescimento é bom", explica Denise. "A substância age diretamente na formação do colágeno e na nutrição da pele. É difícil dizer se o resultado é melhor do que outras substâncias, porque são necessários mais trabalhos para comprovar sua eficácia."

E, se a sua médica não indica esse tratamento, nem pense em tentar se automedicar em nome de um rosto mais jovem. Existem outros efeitos colaterais importantes, além de malformação do bebê e problemas no fígado, como aumento do colesterol, ressecamento dos lábios, sangramento de nariz, unha encravada e, em alguns casos, até depressão.

Portanto, em um ponto ao menos todas as médicas concordam: enquanto a substância não for aprovada pelos órgãos competentes para retardar o envelhecimento da pele, seu uso deve ser bem controlado. Sem o acompanhamento de exames periódicos e de um profissional especializado, nem pensar.


Dra. Priscila Rosa Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário