28 de set de 2011

Victoza: a nova esperança para emagrecer

O Victoza (Liraglutide) é o remédio do momento. Após aparecer na capa da Revista Veja como a nova promessa emagrecedora do momento, virou uma celebridade!!! Todos perguntam e querem saber mais sobre essa novidade...então aí vão alguns esclarecimentos: R$ 350 – 400,00

Essa medicação já é vendida nos Estados Unidos desde 2009, e chegou recentemente às prateleiras do Brasil. Seus estudos envolveram apenas pacientes com diabetes, e nestes, o resultado é muito bom. O medicamento é um análogo (ou seja, tem a mesma ação) de um hormônio produzido pelo nosso organismo, o GLP-1. Assim, o Liraglutide tem a capacidade de estimular a secreção de insulina pelo pâncreas após a refeição, fazendo com que a glicemia caia, permitindo um melhor controle glicêmico nos diabéticos.

A grande vantagem é que ele age também retardando o esvaziamento gástrico, permitindo assim, uma maior saciedade por um período prolongado. Assim, também exerce um efeito no sistema nervoso central reduzindo o apetite e levando ao emagrecimento.



Após essa descoberta, todos que estão acima do peso querem usar o medicamento, porque mesmo quem não tem diabetes, acaba emagrecendo. Porém, a medicação só foi estudada e liberada para ser usada em portadores de diabetes tipo 2 (não pode ser usada por pacientes com diabetes tipo 1 e nem junto com a insulina). O problema é que não se sabe, que tipo de efeitos podem ocorrer com quem não tem diabetes e utiliza essa substância para emagrecer.

Apesar de estar sendo usado por pessoas sem diabetes que até o momento não apresentaram nenhum problema, ninguém pode garantir que daqui alguns meses ou anos, não surja algum. Vale a pena arriscar?

O uso da medicação é liberado para maiores de 18 anos, portadores de diabetes tipo 2. Deve ser vendido apenas com receita médica. É uma medicação injetável, devendo ser aplicada no subcutâneo, assim como a insulina. Sua aplicação é uma vez ao dia e seu uso deve ser contínuo.

Os efeitos adversos mais apresentados são náuseas, vômitos e diarréia, que são piores nos primeiros dias de uso e depois tendem a melhorar. Também pode ocorrer constipação, dor abdominal, dispepsia (má-digestão), cefaléia, nasofaringite, pancreatite aguda, alterações da tireóide e hipoglicemia quando usado com outra medicação para o diabetes, as sulfoniluréias.

A nova medicação é bem-vinda e vai ajudar muitos pacientes diabéticos a controlarem melhor sua glicemia e emagrecerem, conseguindo assim, uma melhor prevenção das doenças associadas ao diabetes. Uma outra desvantagem é o preço da medicação, o tratamento custa em torno de R$ 700,00 por mês.

Vamos torcer para que novos estudos mostrem a segurança de seu uso em pacientes sem diabetes e que ela seja logo liberada para auxiliar o emagrecimento em qualquer pessoa, com ou sem diabetes tipo 2. Mas até o momento, só esse grupo de pacientes pode aproveitar os benefícios do Victoza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário