26 de out de 2011

Conheça mais sobre o Xenical (Orlistat)


O Orlistat, medicamento usado no tratamento da obesidade, é mais conhecido por seu famoso nome comercial: Xenical.

Ele é uma substância produzida pela bactéria Streptomyces toxytricini e apresenta aocapacidade de inibir as lipases, enzimas que agem no trato gastrointestinal, promovendo a quebra dos triglicérides da dieta em ácidos graxos livres e monoglicérides para que sejam, então, absorvidos no intestino delgado.

A inibição da ação dessas enzimas provoca uma menor absorção de gorduras no intestino, porém esta inibição não é total, sendo de aproximadamente de um terço da gordura ingerida. O que não é nada mal, não é mesmo?

Já foram realizados vários estudos em animais e humanos com o orlistat que mostraram consistentemente uma atuação eficaz do medicamento na redução de peso. Num estudo europeu de um ano de duração, na dose efetiva ideal de 120 mg em três administrações diárias, junto às principais refeições, o número de pacientes que perdeu mais que 10% do peso corpóreo foi o dobro no grupo orlistat, comparado com o grupo placebo.

Estudos de dois anos de duração, os quais após o primeiro ano os pacientes foram novamente randomizados em placebo e orlistat acompanhados de uma dieta normocalórica, objetivando manutenção do peso, mostraram que, com a utilização de orlistat, o peso tende a se manter nos mesmos níveis, ao contrário do que acontece com placebo, o que sugere fortemente que para muitos pacientes a administração do orlistat deve ser ininterrupta.

Existem ainda evidências bastante claras de que também há uma melhora nas comorbidades associadas a obesidade, como hiperglicemia, dislipidemia e hipertensão arterial.

Os efeitos secundários do orlistat são inerentes ao seu próprio mecanismo de ação: a não absorção de gordura leva a eliminação destas nas fezes, o que acarreta presença de fezes mais amolecidas e gordurosas e de gotículas oleosas nas evacuações (eca!). Maiores alterações do funcionamento intestinal como diarréia, flatus com descarga e incontinência fecal são evidenciadas apenas em pacientes que apresentem uma ingestão maior de alimentos gordurosos.

Os pacientes em uso de orlistat tendem a evitar a ingestão de gordura para evitar os efeitos colaterais mais intensos do medicamento, o que acaba sendo ótimo porque vai ajudar na dieta.

Os níveis de vitaminas liposolúveis permaneceram sempre dentro dos valores normais durante os estudos com orlistat.

Por não agir no sistema nervoso central e não ser um inibidor do apetite, ela não é uma medicação controlada, sendo vendida com receituário comum e podendo ser usada em combinação com outras medicações para o tratamento da obesidade sem interações.

Procure seu médico para saber se você pode usar este medicamento porque ele pode interferir na absorção de outras medicações ou pode não ser adequado para o seu caso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário