26 de nov de 2011

Você é repelente ou atraente?!?




Todos nós gostamos e admiramos as pessoas que têm carisma e um dom natural de falar em público e conquistar pessoas. Conquistar vai muito além do ato de atrair alguém. Diariamente temos que conquistar pessoas no trabalho, na vida social, nos relacionamentos, nos negócios, nos pequenos detalhes.



Você conhece alguém que reclama de tudo? Já ficou ao lado de alguém que parece pesado, chato, cansativo? Já conviveu com alguém que bate as portas, que fala gritando e que tem sempre uma palavra rude na ponta da língua para disparar em quem se atrever a lhe perguntar algo? Já conheceu alguém que reclama até de propaganda de televisão, que fica nervoso com os telejornais, com a política, com a burocracia, com o cachorro, com as seguradoras, com o síndico e com a mulher (ou marido), filhos, sogra e até com o tempo?!?



Se faz sol é porque o calor é insuportável. Se chove é porque "pobre não tem sorte mesmo". Tudo é motivo pra reclamar! E o maior problema é que as pessoas que são (ou estão) assim, quase sempre não percebem! Por isso, pergunte-se: você anda reclamando demais da vida?



Tem se comportado como uma pessoa pesada e desagradável? Ou seja, tem se comportado como pessoa-repelente?!? Tem se dado conta de que poucos amigos ainda continuam ligando de vez em quando e que dificilmente alguém te paquera, se interessa e se mantém interessado por você depois de te conhecer melhor?



Se você respondeu sim à maioria dos questionamentos... De pessoa-repelente você pode passar a pessoa-atraente... e é mais simples do que você imagina. O primeiro passo é se tornar uma pessoa afetuosa. Sobre isso, Leo Buscaglia (em seu livro "Vivendo, Amando e Aprendendo") deu algumas dicas:



- "Para começar, acredito... que a pessoa afetuosa seja uma pessoa que goste de si. ... Não me refiro ao narcisismo... Refiro-me a uma pessoa que goste de si como alguém que sabe que só podemos dar aquilo que possuímos, de modo que é bom começar a conseguir alguma coisa."



- "Acho que a segunda coisa mais importante num indivíduo afetuoso é que ele se liberta de rótulos. ... Basta você ouvir um rótulo para pensar que sabe tudo sobre ele. Ninguém jamais se dá o trabalho de dizer: Ele chora? Sente? Entende? Tem esperanças? Palavras... Você, se for uma pessoa afetuosa, se dirá o que significa uma palavra só depois de descobrir, por experiência, o que significa; não por acreditar na definição de outras pessoas."



- "Também acho que o indivíduo afetuoso é o que detesta o desperdício e não suporta a hipocrisia. Rosten diz: "Os fracos é que são cruéis. Só se pode esperar a brandura dos fortes".



E escreveu muitas outras coisas fantásticas sobre viver, amar e aprender e eu adoraria continuar citando essas maravilhas, mas voltemos ao foco: depois de se tornar afetuosa, sugiro que você se torne uma pessoa gostosa.



Não estou falando de medidas, peso, músculos, busto, quadris e cintura... Estou falando de leveza, de alto astral, de espirituosidade, flexibilidade, otimismo... Estou falando da capacidade que temos de transformar pequenas ocasiões em festas, ainda que seja uma festa interior. Faça parte do time de pessoas atraentes e a tarefa de viver terá se tornado muito mais agradável depois de você, e por causa de você!




Dra. Pâmela Rosa Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário