2 de dez de 2011

A importância dos carboidratos na dieta e na aceleração do seu metabolismo:


MITO: legumes são sem graça.
REALIDADE: legumes assados com seus temperos favoritos não são sem graça. Experimente colocar pimenta, alho e cebola junto aos legumes para ver!

MITO: legumes não tem consistência.
REALIDADE: experimente cozinhar uns espinafres, brócolis ou couve flor e depois colocar no forno para gratinar com molho de tomate e salpicado com queijo parmesão...é uma delícia!

MITO: não dá pra gostar de legumes sem molhos engordativos.
REALIDADE: experimente comê-los com vinagre balsâmico, molho vermelho apimentado, molho de churrasco tipo barbecue, iogurte desnatado misturado com cebola...

MITO: carboidratos engordam.
REALIDADE:carboidratos não engordam, mas a gente sofre a tentação de comê-los com acompanhamentos engordativos, como manteiga, molhos cremosos...e também tendemos a consumir carboidratos demais, e como qualquer coisa em excesso engorda, ele acabará promovendo o aumento de peso.

MITO: comer pão e massa não é saudável.
REALIDADE: massas integrais e pães de farinhas integrais são extremamente saudáveis e importantes para acelerar seu metabolismo.

MITO: devemos ingerir carboidratos apenas no início do dia.
REALIDADE: é preciso consumir alguns carboidratos em toda refeição, pois eles fornecem energia ao corpo e são o combustível do nosso organismo.

O grande problema é que os tipos de carboidratos que as pessoas gostam (doces, pães brancos, massa branca, arroz branco...) são muito refinados e de rápida absorção. Então assim que comemos esse tipo de carboidrato, logo temos um pico alto e súbito de glicose na circulação, fazendo com que seja liberada uma grande quantidade de insulina e com isso, a glicose cai bruscamente. Essa queda brusca, sinaliza ao cérebro que precisamos comer novamente, e de preferência, algum alimento rico em açúcar. Vem aquele desejo incontrolável de comer algo doce, ou um pratão de massa...e assim, gera-se um ciclo vicioso.

Outro problema desses carboidratos refinados é que eles possuem MUITO açúcar ou sódio (sal), fazendo com que seu gosto seja muito doce ou muito salgado. Com o tempo, de tanto comê-los, nosso paladar se adapta a eles e quando voltamos a comer de uma maneira mais saldável (alimentos frescos, naturais, grãos integrais, sem adição de açúcar ou sódio, sem conservantes, aromatizantes e afins), nosso paladar estranha a mudança e tudo parece meio sem sabor. Isso costuma passar após umas 3 semanas aproximadamente. É o tempo de suas papilas gustativas, que estão saturadas de sal e açúcar, voltarem a se adaptar aos sabores reais dos alimentos.

Não tire os carboidratos de sua alimentação, na tentativa de emagrecer. Eles são o combustível para seu cérebro, glóbulos vermelhos, sistema nervoso central e músculos. Na falta dos carboidratos, seu corpo vai se sentir ameaçado e será obrigado a usar um combustível alternativo: a proteína. Contar com a proteína para se obter energia, a desvia de seu papel principal, que é reparar seus músculos e tecidos e melhorar sua imunidade.

Ter uma boa massa muscular é um dos componentes mais importantes de um metabolismo acelerado. Quanto mais músculos você tiver, mais calorias seu corpo vai queimar!

Mas então, como é que dietas que cortam carboidratos e são a base de proteínas emagrecem? É que nessas dietas, se perde muita água. Quando seu corpo digere proteínas, ele a decompõe formando uréia, uma toxina que precisa ser eliminada de seu organismo. O corpo conta com sua reserva de água para eliminar essas toxinas pela urina.

Você armazena carboidratos nos músculos sob a forma de energia (esse depósito é chamado de glicogênio). Para cada quilo de glicogênio muscular, você armazena 3 kg de água. Portanto, sem os carboidratos para fornecer energia muscular, você não vai ter essa água no corpo também. Mas perder água, não é o mesmo que perder gordura. O peso da água que se perde nessas dietas apenas ilude quem só acredita no que vê na balança. Isto porque esse peso pode ser readquirido em questão de minutos, simplesmente depois de beber um pouco de água.

Agora você sabe que, se não tiver carboidratos a sua disposição, seu corpo perderá massa muscular, o que também gera perda de peso. A perda de massa muscular, gera uma perda de peso até maior na balança do que a perda de gordura (o músculo pesa bem mais que a gordura!). Lembre-se desse conceito importante: a perda de peso não equivale necessariamente a perda de gordura! Se você perder água e músculo, pode ficar bem mais leve na balança, mas ainda vai estar com excesso de gordura, parecerá obeso e se sentirá assim. Então, substituir carboidratos por proteínas só gera perda de água e músculos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário