26 de dez de 2011

Pessoas em boa forma obtém maiores resultados com mesmos exercícios físicos do que os fora de forma


Má notícia para os gordinhos: quem está em melhor condição física queima a gordura do corpo de modo mais eficiente do que quem está em pior forma, quando ambos fazem exatamente o mesmo tipo de exercício.

Foi o que revelou o primeiro estudo detalhado da química do sangue em pessoas que fizeram exercícios.

"Estas substâncias bioquímicas dão um retrato instantâneo do estado de saúde de um indivíduo", diz um dos líderes do estudo, o médico Gregory D. Lewis (do Hospital Geral de Massachusetts - Boston, e do Instituto Broad do MIT e Harvard - Cambridge).

"O exercício produz inúmeros efeitos para a sáude, mas a nossa compreensão de como estes efeitos ocorrem é limitada", escreveu a equipe de 23 pesquisadores na última edição da revista médica "Science Translational Medicine".

"Exercícios podem conferir proteção cardiovascular, desmascarar disfunção oculta de órgãos, e prever o prognóstico da doença, mas como e por que esses efeitos ocorrem não é totalmente claro ainda", afirmam os pesquisadores.

Quando uma pessoa se exercita - correndo, por exemplo -, ocorrem muitas mudanças na química do sangue. Ao usar a energia do corpo, surge no sangue uma grande quantidade de subprodutos, substâncias químicas ligadas ao metabolismo, ou "metabólitos".

A equipe liderada por Lewis e Robert E. Gerszten, das mesmas instituições, usou técnicas de espectrometria de massa para identificar a presença de cerca de 200 metabólitos no sangue de voluntários antes, logo em seguida e uma hora depois do exercício por dez minutos em uma esteira.

Pessoas que estavam em boa forma tiveram um aumento de 98% na "queima" de gordura, açúcar e aminoácidos; as em pior forma só atingiram um aumento de 60% a 70% nesses índices.

Mas nada disso se compara ao que acontece com corredores de maratona. A equipe examinou o sangue de atletas participantes da maratona de Boston. O aumento na queima de calorias foi de incríveis 1.128%.

As mudanças na química do sangue permitem aos que os que estão em melhor forma queimem calorias com mais eficiência.

Esse tipo de exame poderá ajudar, no futuro, no desenvolvimento de terapias para doenças cardiovasculares e diabetes e até mesmo para melhorar o desempenho esportivo por meio de suplementos alimentares que acrescentem ao corpo as substâncias químicas ligadas à maior eficiência energética.

O esporte trouxe modificação significativa no nível sanguíneo de mais de vinte "metabólitos". Essas mudanças em geral se concentraram nos músculos exercitados, mas algumas foram percebidas em todo o corpo.

E o efeito do exercício foi duradouro, como mostra o fato de muitas das mudanças bioquímicas ainda estarem presentes uma hora depois do exercício.

Houve diferença também na composição química entre o sangue dos que fizeram exercício físico rápido (curto) - os dez minutos na esteira - ou os que fizeram exercício prolongado - caso da maratona.

Mas o importante é que curto ou prolongado, o exercício promove alterações químicas em nosso corpo que são extremamente benéficas à saúde. E a novidade é que estas alterações são mais intensas em quem está em boa forma, nos fazendo concluir que mais importante do que entrar em forma, é conseguir mantê-la sempre em dia para ter mais saúde!

Dra. Priscila Rosa Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário