5 de fev de 2012

Saiba tudo sobre: FLACIDEZ


A flacidez se deve à diminuição de estruturas cutâneas fundamentais para a manutenção da hidratação e da tonicidade dos responsáveis pela sustentação das partes moles do corpo, apoiando e ligando uns tecidos aos outros. É uma alteração que afeta basicamente as mulheres, podendo ser muscular, cutânea ou ambas.

Na flacidez muscular ocorre uma diminuição do tônus muscular. O sedentarismo pode ser considerado uma das causas mais freqüentes da flacidez, seguido pela perda de massa muscular, pelo aumento do depósito gorduroso, e por deficiência hormonal, como ocorre na menopausa. É agravada pela alimentação inadequada e pelo efeito “sanfona”. O emagrecimento leva à perda de massa muscular, enquanto o ganho de peso aumenta o volume da gordura. Logo, a cada dieta sem orientação, há um aumento do tecido gorduroso em relação ao tecido muscular, e, a massa muscular é responsável pela queima de gordura, é fundamental preservá-la quando fazemos dieta para emagrecer, o que só é possível por meio da atividade física.

Já flacidez cutânea se deve, basicamente, à perda de elementos do tecido conjuntivo, como fibroblastos, colágeno e elastina, diminuindo a firmeza entre células, “afrouxando” a pele. Em conseqüência, a pele fica caída, com aspecto envelhecido. Além de influências de origem genética, a flacidez cutânea decorre de variações de peso dos indivíduos ao longo dos anos e do envelhecimento natural da pele, que leva a distribuição de colágeno e elastina. Estes fatores levam ao excesso de pele. Quando ocorre no pós-parto, a flacidez é causada, principalmente, pela alteração dos níveis hormonais, pelo ganho de peso e, muitas vezes, pela falta de atividade física.

Assim, para evitar a flacidez, devemos sempre nos exercitar, embora sem excessos. O que é imprescindível é a manutenção do peso. O engorda-emagrece, o estica e puxa, acaba gerando e piorando a flacidez. Os tratamentos para flacidez são a eletroestimulação (estimulação com corrente russa), a intradermoterapia com medicamentos que estimulem a produção de colágeno, que é responsável pela sustentação da pele, como é o caso do DMAE, que também pode ser usado para o corpo, além do tratamento com carboxiterapia que estimula a formação de colágeno e elastina e também o aparelho de radiofreqüência que em poucas sessões prometa um resultado dito como milagroso para muitas que já se cansaram de realizar inúmeros tratamentos estéticos sem resultado. O ideal é fazer a combinação dos dois tratamentos: carboxiterapia + radiofrequência, os resultados podem ser vistos ainda mais rápido!

Dra. Pâmela Rosa Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário