11 de mar de 2012

ZONA T OIL FREE



Conhecida das pessoas que sofrem com oleosidade na pele, a chamada zona T do rosto (testa, nariz e queixo) tem maior concentração de glândulas sebáceas e, por isso, é a região mais gordurosa da face. Mas, além da influência do seu tipo de pele, algumas doenças da cútis, a má alimentação e até o contato com os cabelos podem aumentar a oleosidade da região que pede sabonetes específicos e cuidados especiais.

Quem quer controlar a oleosidade da região deve, em primeiro lugar, prevenir. O rosto fica exposto em tempo integral à poluição e a outros agentes que podem aumentar o grau de oleosidade da pele, especialmente da zona T. Os cabelos, também sofrem essa influência direta, por isso, passar as mãos nos cabelos e na face pode piorar ainda mais o quadro. Mulheres com cabelos compridos e cortes que favoreçam o contato dos fios com a pele do rosto podem ter mais problemas, já que a oleosidade do couro cabeludo é transferida à extensão dos fios. Pessoas que sofrem com oleosidade, tanto do cabelo quanto da zona T, devem lavar os cabelos com mais frequência, com intervalo de no máximo um dia entre uma lavada e outra.

Lavar o rosto em água corrente, manter os cabelos presos e evitar o contato das mãos com a pele também são dicas úteis para o dia a dia de quem deseja evitar os incômodos da pele oleosa na região.

Ao perceber o excesso de oleosidade na zona T é importante buscar orientação de um médico para o tratamento. Normalmente, um sabonete específico para o tipo de pele é recomendado para lavagem, no máximo, três vezes ao dia para não provocar o temido efeito rebote, quando as glândulas sebáceas aumentam a produção de oleosidade para combater a falta de hidratação.

Além de sabonetes específicos, cosméticos com ácido salicílico podem ser receitados. Como coadjuvante do tratamento, ainda vale a pena manter uma boa alimentação e evitar açúcares e gorduras para combater o excesso de oleosidade de dentro para fora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário