30 de abr de 2012

Combata a inflamação da pele



Neste exato momento, as células da sua pele podem estar sendo "atacadas" pela inflamação, que rouba a sua juventude, pois acelera o aparecimento de rugas, flacidez e manchas.

Pergunte a um time de dermatologistas qual é o principal causador do envelhecimento e a resposta, sem nenhuma surpresa, será o sol. Outra vilã, porém, tem sido o foco de atenção dos médicos do mundo todo: a inflamação da pele.

O processo inflamatório do qual falamos acontece nas células da pele e estudos recentes o relacionam com o aparecimento não apenas de doenças de pele (eczema, rosácea ou psoríase, por exemplo), mas também de linhas, rugas, manchas, flacidez e acne.

É verdade que o organismo, devido ao seu complexo sistema imunológico, é naturalmente equipado para enfrentar o perigo. Mas o problema é que, muitas vezes, graças ao nosso estilo de vida, a inflamação pode se tornar persistente. E, se ela perdura, tem um efeito nocivo que, assim como o dos raios solares, nem sempre vemos imediatamente e, pior, é cumulativo. Como um trem desgovernado, a inflamação ganha velocidade e pode comprometer todo o sistema de proteção e recuperação da pele. O resultado você já sabe qual é...

Agora descubra como desacelerar o processo:


1. Combata os radicais livres

Até quando você respira, seu metabolismo libera essas moléculas, tidas como vilãs da saúde e da beleza. Fama injusta, aliás. Afinal, os radicais livres também eliminam microrganismos que põem nossa vida em risco. Essas moléculas só viram um problema quando se proliferam. Como o radical livre contém um número ímpar de elétrons e precisa de um número par, vai buscar um parceiro em moléculas vizinhas. Essas, por sua vez, sequestram outros elétrons. Forma-se uma reação em cadeia que dá origem ao "stress oxidativo", um processo que estimula a inflamação nas células. Isso tudo degrada as fibras da pele - como o colágeno e a elastina - responsáveis pela firmeza e elasticidade.

Embora nosso organismo fabrique enzimas antioxidantes para neutralizar os radicais livres, a produção natural é insuficiente. A saída está em aumentar a dose de substâncias anti-inflamatórias. Isso é possível de três formas: alimentos, suplementos e cremes.


* Ponha no prato: tomate (rico em licopeno), cenoura, abóbora e mamão (fontes de caroteno), folhas verde escuras (que contêm flavonóides), alecrim (que fornece ácido carnosoico), azeite, linhaça, peixes de água fria - salmão e sardinha (todos ricos em ômegas).

* Tome a cápsula: licopeno, zinco e vitamina C são os antioxidantes clássicos para melhorar a pele. Ácido azeláico controla a atividade das glândulas sebáceas e trata a acne. Extrato de romã e coenzima Q10 agem contra as manchas.

* Passe na pele: cremes com vitamina C, vitamina E, chá verde, soja, ácido ferúlico, silício orgânico (oligoelemento responsável pela manutenção das fibras de colágeno e elastina), complexo de óleos vegetais orgânicos, como resveratrol e ômegas 3, 6 e 9.


2. Aposte no antioxidante número 1

Já ouviu falar em ácido alfalipoico? Trata-se de uma enzima que combate os radicais livres e regenera os tecidos da pele e dos músculos. Entre todos os antioxidantes presentes no organismo, o ácido alfalipoico é tido como o número 1. Isso porque, segundo estudos, ele seria o mais poderoso no combate ao stress oxidativo.

Ele está em alimentos como espinafre, fígado bovino e levedura de cerveja, mas não em quantidades significativas. O ideal é fazer uso de suplementos, já à venda no Brasil, mas que só devem ser ingeridos com indicação de um especialista. "O ácido é precursor da glutationa, um outro antioxidante considerado master e fabricado pelo organismo", fala Nicholas Perricone, dermatologista norte-americano e um dos primeiros médicos a orientar suplementos orais para evitar o envelhecimento.

"A glutationa decompõe e neutraliza os radicais livres, potencializa os efeitos positivos das vitaminas C e E na eliminação das toxinas e rejuvenesce as células", disse o especialista.


3. Reduza o açúcar

Se a fórmula da juventude existisse, o açúcar não seria um dos seus ingredientes. As moléculas de glicose flutuam no sangue e se fixam a moléculas de proteínas que vão grudando em outras proteínas que encontram no caminho formando um grande aglomerado - são os AGEs, sigla para Advanced Glication End-products.

Esse processo é denominado glicação. Ele inflama os tecidos e os degenera, comprometendo a estrutura da pele. O colágeno é degradado assim como as fibras de elastina. Em nome do rosto firme e jovem, controle a quantidade de açúcar ingerida - pode experimentar aquele cupcake delicioso, só não vale exagerar - e troque os carboidratos simples (pão, arroz e macarrão brancos) pela versão integral.


4. Coma menos

Sim, diminuir a quantidade de comida que você coloca no prato não só emagrece, óbvio, como também prolonga a juventude. Reduzir 30% do total de calorias ingeridas ao longo do dia pode esticar sua vida em dez anos, além de desacelerar o envelhecimento global do corpo - rosto incluído. O contrário, uma dieta hipercalórica produz radicais livres, estimula os AGEs e dispara a inflamação. Tem mais: alguns estudos sugerem que a gordura corporal (o pneuzinho, a pochete, o culote...) tem íntima relação com o aumento dos radicais livres.


5. Tome (um pouco de) sol

Os raios solares ativam a vitamina D e têm ação anti-inflamatória comprovada. Você só precisa de 15 minutos por dia ou, no mínimo, três vezes por semana para suas defesas ficarem em ponto de bala. Se não quiser expor o corpo inteiro ao sol, tudo bem. Incidindo sobre os braços e as pernas já está ótimo. O exagero, porém, tem efeito contrário, ou seja, abre caminho para as inflamações.


6. Pare de fumar hoje

Que o hábito faz o maior estrago no coração não é novidade. Mas o mesmo processo também rouba a sua beleza. A nicotina estreita as artérias nas camadas superficiais da pele, dificultando o fluxo do sangue e o transporte de oxigênio e nutrientes ao rosto e ao corpo. Os cerca de 4 mil compostos químicos do tabaco também deterioram o colágeno e a elastina. Sem falar nas expressões faciais que você faz quando traga. Ao repetir o movimento, aprofundam-se os sulcos ao redor dos lábios, agravando essas rugas - denominadas de código de barras - dificílimas de ser tratadas.


7. Dome o stress

Situações de pressão, principalmente as que se tornaram constantes, forçam o corpo a produzir cortisol, hormônio que enfraquece o sistema imunológico. É mais um gatilho para a inflamação. Desde a formação do embrião, a pele está em ligação direta com o sistema nervoso. Para acalmar a tensão, experimente a respiração abdominal, que deve inflar o abdômen como um balão. Dez minutos por dia (ou em situações de emergência) é o suficiente para você treinar a conviver com o corre-corre sem ser derrubada por ele. Outra proposta: malhar. A atividade física é considerada uma das melhores práticas para diminuir a inflamação. Tente ioga e junte os dois benefícios.


8. Capriche na hidratação

Uma pele ressecada não consegue barrar agentes agressores. Daí, a importância primordial dos cremes hidratantes. Também é preciso garantir, por meio da dieta, a absorção de gordura de boa qualidade, como o óleo de macadâmia e o óleo de semente de abóbora, que amaciam a pele. Já o óleo de arroz consegue aumentar a atividade das aquaporinas, canais de irrigação dos tecidos do corpo, garantindo a chegada de água na pele. Todos esses óleos são do tipo extravirgem e prensados a frio e podem ser encontrados em casas de produtos naturais.


Agora, coloque esses mandamentos em prática, fique protegida da inflamação e tenha uma pele bonita e luminosa por muitos e muitos anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário