21 de abr de 2012

Orlistate: grande aliado no emagrecimento



O orlistate é um medicamento utilizado no tratamento da obesidade. Produzido pelo Streptomyces toxytricini, tem a propriedade de impedir a atuação das lipases do tubo intestinal e assim diminuir a absorção de gorduras.

O orlistate não é considerado um supressor da fome pois atua de modo diferente, inibindo as enzimas pancreáticas e gástricas responsáveis pela digestão da gordura. Deste modo, os lipídeos necessitam sair pelas fezes para assim, ajudar no emagrecimento. O medicamento não atua no sistema nervoso central, não inibe o apetite e não possui efeitos colaterais tão importantes quanto outras drogas usadas para emagrecimento.

É utilizado no auxílio a perda de peso, juntamente com dieta hipocalórica, pois impede a absorção de até 30% de toda gordura ingerida pelo organismo. Não produz dependência química e danos cerebrais. É somente indicado para obesos com IMC igual ou superior a 30 kg/m2 e para aqueles com IMC menor ou igual a 28 kg/m2 com algum risco associado.

Dois estudos realizados com placebo que duraram 2 anos, mostraram que uma dose de 120 mg três vezes ao dia associado a dieta hipocalórica promoveu perda de peso de 8,7 e 10,2% em comparação com 5,8 e 6,1% nos paciente que recebiam placebo e faziam dieta. Os estudos envolveram mais de 1500 pessoas.

Como falado, ele nibe a enzima lipase liberada pelo pâncreas (lipase pancreática). Esta enzima é responsável pela degradação no intestino das gordura ingeridas na dieta. Sem a sua ação, a gordura é eliminada com as fezes. O seu uso pode provocar algumas vezes dores abdominais (cólicas)e flatulência.

Xenical é o nome comercial mais famoso deste medicamento. Conforme estudos mostram, pode haver perda de peso de até 10% em 6 meses e auxílio na redução do LDL ("mau" colesterol).

A grande vantagem dele é a de ser uma medicação que pode ser usada com segurança por longo período de tempo e pode ser combinada com outros medicamentos que auxiliam no emagrecimento.

Há muito preconceito a este medicamento devido ao medo dos efeitos colaterais, porém quando se segue a dieta recomendada corretamente, que já não é rica em gorduras, há poucas chances de ocorrerem situações de maiores desconfortos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário