2 de set de 2012

Dieta alcalina: equilibre o pH de seu organismo

A dieta mais alcalina, rica em alimentos mais básicos e não ácidos (que são classificados assim devido a sua composição química e não pelo sabor mais ácido ou mais doce), faz com que o nosso corpo absorva mais oxigênio, o que é excelente para seu melhor funcionamento. O corpo humano tem um pH ligeiramente alcalino e, assim, comer alimentos alcalinos pode ajudar a manter o pH do seu corpo em equilíbrio. O pH saudável do nosso sangue é de 7.35, e a alimentação tem influência na sua manutenção. Atualmente os hábitos alimentares tendem a incluir muita comida ácida como proteínas de origem animal, produtos lácteos e trigo.

Para as células funcionarem perfeitamente elas devem receber nutrientes e oxigênio da corrente sanguínea e serem capazes de liberar os resíduos celulares. Esta troca (ótima chegada de oxigênio e nutrientes e excreção do lixo celular) só acontece quando o organismo está levemente alcalino. Se a célula não joga fora as toxinas o corpo fica intoxicado e inflamado.

O organismo a cada minuto gera uma enorme quantidade de ácidos a partir dos seus processos metabólicos. Portanto para manter a saúde, o organismo tem que neutralizar ou excretar a grande maioria dos ácidos produzidos. Esta capacidade de excretar ácidos e de neutralizar o excesso de ácidos depende do organismo de cada um, geneticamente falando, e sobretudo sofre influência pelo que é consumido (dieta).



A alimentação mais ácida pode favorecer:

- Perda de potássio e magnésio orgânico, com uma tendência a hipertensão e inflamação, e consequente dor associada ao processo inflamatório;

- Quebra das proteínas dos estoques musculares, levando a perda de massa muscular, gerando menor capacidade orgânica de reparo das células, tecidos e órgãos;

- Irritação do trato urinário, levando a freqüência urinária aumentada e dor ao urinar, além de maiores riscos de cálculos renais;

- Supressão da liberação de hormônios importantes levando as disfunções hormonais;

- Aumento da produção de radicais livres, levando a piora da dor, inflamação, enfraquecimento das articulações, redução da imunidade, câncer, diabetes, obesidade, excesso de gordura abdominal, problemas cardiovasculares e envelhecimento precoce, levando a redução dos estoques de antioxidantes como vitamina C, E, selênio, e zinco, deixando o organismo debilitado;

- Menor produção de energia, levando ao mau funcionamento celular e dificuldade para a prática de atividades físicas;

- Aumento da retenção de líquidos;

- Alteração da flora intestinal e problemas gastrointestinais;

- Redução da capacidade mental;

- Ganho de peso.

Portanto, a dieta alcalina equilibra os níveis de acidez e melhora todos estes sistemas.



Outros fatores imporstantes que inlfuenciam a dieta:

- Estresse;
- Toxinas (ambientais, etc.);
- Parasitas (como vermes);
- E principalmente a dieta riquíssima em alimentos ácidos.


Saiba quais são os alimentos ácidos:

- Comidas processadas: congelados, enlatados, embutidos, maionese, mostarda, catchup, sanduiches e hamburgeres;
- Açúcar, sal e alimentos "brancos": bolos, pães brancos, arroz branco, farinha branca;
- Todos os derivados de animais: carnes em geral, leite, iogurte, manteiga, ovos e queijos,
- Gorduras ruins: gordura saturada e gordura trans;
- Amendoin, avelã e casatanha de caju;
- Café, refrigerante comum e light;
- Bebidas alcóolicas em geral;
- Algumas frutas;
- Soja e grãos de soja.


E saiba quais são os alimentos alcalinos:

- Lentilha, brócolis, repolho, melão, abacaxi, lima, nectarina, couve, alho, chá verde e brotos (estes são os campeões de alcalinidade);
- Todos os vegetais, preferencialmente crus;
- Raizes: batata-doce, batata, inhame, aipim, cará;
- Produtos integrais e livre de conservantes;
- Frutas frescas e secas: damasco, ameixa, uva passa, abacate, melancia, coco, maçã, mamão, laranja, ameixa umeboshi...
- Ervas e pimentas;
- Boas gorduras: azeite de oliva, óleo de linhaça, óleo de canola, óleo de amêndoas...
- Amêndoas;
- Cogumelos;
- Espirulina e Chlorella (suplementos);
- Algas marinhas (como a do sushi);
- Missô e shoyo (a soja é fermentada);
- Arroz integral.

Sementes, trigo, aveia e cevada são considerados intermediários, nem tão ácido nem tão alcalinos.
Quem já fez a dieta das proteínas e notou que após 2 semanas, quando começa a emagrecer bastante, se sente muito cansado e indisposto, pode ter certeza que isso ocorre porque durante esse período você SÓ consome alimentos extremamente ácidos, nada de alimentos alcalinos além de retirar a sua maior fonte de energia para o dia a dia, que são os carboidratos.