17 de dez de 2012

Novidade: toxina botulínica produzida no Brasil

O Brasil é um dos cinco países do mundo em que mais se usa a toxina botulínica, aquela substância que paralisa as rugas do rosto e dá um ar mais jovem à pessoa.

A boa notícia - não só para as mulheres, porque um terço das pessoas que usam são homens - é que o produto vai ser fabricado no Brasil. Com isso, o preço deve cair pela metade.


 Em 1817, um médico americano descobriu uma doença estranha que afetava o sistema nervoso, paralisava os músculos e levava o paciente à morte. Era o botulismo, transmitido por uma bactéria presente em alimentos mal conservados. Anos depois, a bactéria foi isolada e usada como vacina para combater a doença. Surgia então o soro anti-botulínico.

A toxina botulínica bloqueia a liberação de uma substância chamada acetilcolina, um neurotransmissor que provoca as contrações musculares. Sem essa substância, o músculo não contrai mais e não aparecem rugas.

A boa notícia vem do lugar que abriga o maior produtor nacional de vacinas para várias doenças e soros contra picadas de animais peçonhentos. Até hoje toda a toxina botulínica consumida no país é importada. Mas isso deve mudar no ano que vem. O Instituto Butantan aqui em São Paulo, que já produz a toxina para fins terapêuticos, vai produzir também para uso estético e pretende vender a partir do ano que vem.