10 de fev de 2013

Como voltar a antiga forma após o parto sem neurose


Logo depois de ter dado à luz, a mulher comum vê notícias sobre alguma celebridade que surgiu magérrima semanas após o parto.

A reação à foto é dúbia. De um lado, há a desconfiança de que a famosa amamente montada na bicicleta ergométrica. De outro, inveja ao pensar que ela mesma vai demorar meses antes de se reencontrar com o jeans favorito.

A publicitaria Amanda Agostini, 28 com sua filha Lara Agostini, 3 meses em seu apartamento em Moema
A publicitaria Amanda Agostini, 28 com sua filha Lara Agostini, 3 meses, em seu apartamento em Moema
"Emagrecer é mais difícil para as novas mães por conta do contexto social", diz a nutricionista Cynthia Antonaccio, da Equilibrium Healthy Food. Ela enumera: a licença-maternidade, que põe a mulher o dia inteiro perto da geladeira, o hábito de comer a sobra de comida que a criança deixa, as festas infantis e a falta de tempo para exercícios são alguns sabotadores da volta à silhueta.

Há "excesso de autoindulgência" no comportamento das novas mães, diz Andrea Santa Rosa, membro do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional e do Institute for Functional Medicine (EUA).

"Muitas mulheres usam a gravidez ou a amamentação como justificativa para fazer atrocidades alimentares que elas não se permitiriam em outras fases da vida. Depois do parto o corpo 'quer' emagrecer, é natural que volte ao peso anterior, mas você também não pode fazer de tudo para impedi-lo", diz.



Para a apresentadora Angélica, que voltou ao seu peso (53 quilos) seis meses após o nascimento do segundo filho, o segredo é o equilíbrio.

"As prioridades mudam. Você passa a se preocupar mais com o bebê, a madrugada é pontuada por mamadas, você não dorme muito bem, fica com menos disposição nessa fase. Tudo tem seu tempo", diz ela, que fez drenagem linfática até no dia do parto e muita dieta e malhação logo depois.

A mulher que ganhou entre 9 e 12 quilos na gestação deve recuperar o peso anterior em cerca de 6 meses. Quem engordou mais pode levar até 9 meses para perder os quilos extras, segundo o obstetra Paulo Martin Nowak, da Unifesp.

O ideal para emagrecer com saúde nessa fase é perder até um quilo por semana, segundo a nutricionista Cynthia Antonaccio.

Quem manteve o peso adequado na gestação e se alimentou bem pode perder os quilos extras só com o gasto calórico do aleitamento.

É o caso de Amanda Agostini, 28. Dois meses após a chegada de sua filha, a publicitária já havia recuperado seu peso. Na gravidez, ganhou só os 10 quilos recomendados e fez caminhadas. Hoje, três meses depois do parto, não faz dieta. Seu único exercício é passear com a filha pelas ruas do bairro.

Tanta facilidade, no entanto, foi possível porque antes da gravidez Amanda corria e nadava: "Agora fico cansada só de pensar em exercício. Quando tenho tempo livre quero mais é descansar".

PREPARO FÍSICO

A redatora Luciane Zardo, 31, com sua filha Manuela, de um mês
A redatora Luciane Zardo, 31, com sua filha Manuela, de um mês
Mesmo quem não teve dificuldade para perder os quilos a mais deve praticar algum exercício leve. A atividade física ajuda a superar outros percalços do pós-parto, como a queda abrupta na quantidade de hormônios, que pode levar a mulher a comer mais ou a se sentir "feia".

Além disso, a distensão sofrida pela pele da barriga pode causar estrias e flacidez; o útero ainda dilatado faz com que a postura permaneça como na gravidez, com a barriga projetada para frente e o bumbum para dentro.

A falta de preparo físico faz com que muitas mães sintam dores nas costas e nos braços.

Magrinha e sedentária, a redatora Luciane Zardo, 31, pretende fazer pilates para se livrar das dores de coluna: "A gente fica o tempo inteiro com a coluna projetada para frente para cuidar do filho, uma hora começa a doer".

"NÃO TEM PERSONAL MELHOR DO QUE CRIANÇA PEQUENA" (diz Angélica)


Esticar e emagrecer parece ter se tornado a especialidade da apresentadora Angélica, 38. Ela posou para revistas de dieta nove meses depois da primeira gravidez e cinco meses após a segunda.

"O segredo é não ganhar muito peso na gestação", contou à Folha. Na gravidez de Joaquim, engordou dez quilos. Na de Benício, 13. "É mais difícil voltar ao peso depois da segunda gravidez."

Em sua casa em 2007, a apresentadora Angélica posa grávida de seu segundo filho
Em sua casa em 2007, a apresentadora Angélica posa grávida de seu segundo filho

Mas Angélica acredita que ter filhos em casa já é uma ginástica: "Não tem melhor 'personal trainer' do que crianças correndo e a gente correndo atrás delas", diz.

A jornalista Myrian Clark concorda. Teve gêmeos na primeira gravidez e descobriu que os bebês eram tão eficientes quanto uma academia. Na segunda gravidez consultou um professor de educação física para sistematizar sua ginástica materna.

"Ele me ensinou a contrair a barriga enquanto empurrava o carrinho, a manter a postura correta na hora de carregar o bebê, coisas que a gente repete tantas vezes ao dia que são de grande ajuda."

A experiência de Clark está no livro "Em Forma Com Seu Bebê" (Panda Books). "Depois de ter filhos a gente quer passar o tempo todo com eles; minha solução foi incluí-los nos exercícios", diz.

Segundo o obstetra Paulo Nowak, quem não teve complicações no parto normal pode voltar a se exercitar em duas semanas. Já o resguardo da cesariana é de 40 dias.

Depois é aconselhável fazer alguma atividade leve com acompanhamento médico. É que nos seis primeiros meses de maternidade, a pressão arterial precisa ser vigiada na atividade física, que não deve ser feita no calor.

Atenção também para o ganho "mágico" de flexibilidade: "Por conta da relaxina, hormônio que amolece as articulações pélvicas e dá flexibilidade para o parto, as mães costumam alcançar maiores amplitudes de movimento, mas se o músculo não está preparado para tanto alongamento isso pode gerar lesão", alerta a personal trainer Cloe Celentano.



(Fonte: www1.folha.uol.com.br)