15 de jul de 2013

Manter uma dieta saudável aumenta a imunidade e reduz risco de doenças

Mudar a alimentação é importante para a saúde, em qualquer idade e momento da vida. Ter um estilo de vida saudável e uma dieta equilibrada é fundamental para aumentar a imunidade do corpo e assim, reduzir o risco de diversas doenças, inclusive o câncer.
Por isso, ingerir frutas, verduras, legumes, proteínas, vitaminas e minerais é um hábito essencial para quem quer ter mais qualidade de vida, como alertaram a clínica geral Dulce Brito e o nutrólogo e cardiologista Daniel Magnoni no Programa Bem Estar da Rede Globo recentemente.
Mesmo quem tem fatores genéticos que aumentem as chances de determinadas doenças podem também se beneficiar da mudança dos hábitos alimentares – o paciente pode até desenvolver o problema, mas terá mais bem-estar e menos complicações. Para melhorar o sistema imunológico, o cardiologista Daniel Magnoni explica que proteínas, vitaminas e minerais são os grupos que mais ajudam na produção de células de defesa.
Bem Estar - Infográfico sobre imunidade (Foto: Arte/G1)





Além disso, comer de 3 a 5 porções diárias de legumes, verduras e frutas também faz bem e reduz o risco de câncer, principalmente de boca, faringe, laringe, esôfago, estômago, pulmão, pâncreas e próstata nos homens.
Há ainda a vitamina C, que é extremamente poderosa na alimentação já que é um antioxidante natural e rica em fibras e licopeno, substâncias que protegem a saúde. Entre os alimentos com essa vitamina, os campeões são a acerola e o caju, como mostra o ranking abaixo.
Ranking mostra os alimentos que têm mais vitamina C (Foto: Mariana Palma/G1)Ranking mostra os alimentos que têm mais vitamina C (Foto: Mariana Palma/G1)
De acordo com o cardiologista Daniel Magnoni, pessoas que fazem regime e idosos podem ter a imunidade afetada porque têm deficiência de vários nutrientes, como a proteína. Além disso, é importante lembrar que a imunidade pode diminuir por causa de vários outros motivos.
Por exemplo, no caso de câncer, a quimioterapia pode destruir células boas e ruins, o que prejudica a resistência.
Também, quando a mulher fica grávida, o corpo não pode considerar o bebê um corpo estranho e, por isso, os sistemas de defesa ficam inativados, diminuindo a proteção.
Depois que o filho nasce, a amamentação é quem protege a mãe contra o câncer de mama e até contra a diabetes, por exemplo. Além de fazer bem para a mãe, amamentar também faz bem para o bebê, que tem 40% menos chances de ser diabético no futuro, como explicou a clínica geral Dulce Brito.
As doenças mais comuns que prejudicam o sistema imunológico são as gripes e resfriados. De acordo com a clínica geral Dulce Brito, quando há um processo infeccioso, ocorre uma espécie de batalha dentro do organismo e as células de defesa tentam expulsar o “invasor”.
Por isso, há menos proteção para os outros problemas que podem aparecer. Nesse caso, é ainda mais importante beber muita água, comer bem e aumentar a ingestão de alimentos energéticos (carboidratos complexos) e proteínas.
(Fonte: g1.globo.com/bemestar)

Nenhum comentário:

Postar um comentário