16 de ago de 2013

Lorcaserina: nova droga para o emagrecimento

A lorcaserina foi a primeira substância usada para estimular a perda de apetite aprovada pela FDA (Food and Drug Administration) em 13 anos. Ou seja, por enquanto, ela é um dos poucos remédios para perder peso que podem ser comercializados nos Estados Unidos, país que concentra a maior população de obesos e de pessoas com sobrepeso do mundo.

O cloridrato de lorcaserina, que ganhou o nome fantasia Belviq, age no sistema nervoso central como agonista (substância química que se liga a um receptor) do receptor 5-HT2c, um dos tipos de receptor do hormônio serotonina, que proporciona a saciedade. Além disso, faz aumentar o metabolismo basal e a queima de gordura, por tornar-se um poderoso termogênico aumentando a temperatura corporal.

Estudos foram realizados com um grupo de 3.182 pacientes, dentre eles obesos com IMC (Índice de Massa Corporal) acima de 30 e pessoas com sobrepeso com IMC maior que 27 com doenças relacionadas como hipertensão e diabetes tipo 2. Esse grupo foi dividido em 2, sendo que um deles recebeu a lorcaserina 2 vezes ao dia e o outro, apenas placebos. Além do medicamento, os pacientes foram expostos a exercícios físicos diários e à alimentação balanceada.

Lorcaserina

Ao final da pesquisa, que durou 2 anos, quase 50% do grupo que ingeriu a lorcaserina perdeu, no mínimo, 5% de seu peso inicial, enquanto no grupo que recebeu placebo apenas 20% conseguiu se livrar de alguns quilos.

Além disso, a lorcaserina mostrou outros benefícios como o controle da pressão arterial, do colesterol total, dos triglicérides, da glicemia de jejum, da insulina, da frequência cardíaca e, principalmente, no tratamento contra a dependência da nicotina.

Como dito acima, a lorcaserina faz perder pelo menos 5% de sua massa corporal no período de 2 anos. Entretanto, tudo depende de seu esforço ao praticar atividades físicas regulares e ao se alimentar corretamente.

No Brasil, a venda do medicamento é autorizada pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), mas somente com receita. Portanto, se você pretende perder quilos com ele, procure o seu endocrinologista para que ele o receite e te oriente a usá-lo, mas lembre-se que ele só é recomendado para pessoas obesas ou com sobrepeso.

Felizmente, não foram observados efeitos colaterais muito graves com o uso do Belviq. Alguns deles foram: dores de cabeça, infecção no trato respiratório superior, sinusite, nasofaringite e náuseas. Pouquíssimas pessoas relataram ter sofrido de ansiedade, depressão e de pensamentos suicidas após a ingestão desse medicamento.

O Belviq não pode ser usado em conjunto com outros remédios que aumentem as taxas de serotonina no cérebro ou que ativem os seus receptores. Estão incluídos nesse grupo os medicamentos contra enxaquecas e depressão.

Ele também é contra-indicado para lactantes, gestantes e menores de 18 anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário