24 de ago de 2013

Trapaças minam a eficiência das dietas...

Já falei aqui sobre esse livro que ajuda bastante a abrir a mente de quem quer mudar sua forma de pensar sobre alimentação e dietas. Mas aí vai mais uma matéria que li sobre o livro e achei legal:

O fracasso de uma dieta pode ser o resultado de trapaças e outras auto-sabotagens, defende a terapeuta cognitiva Judith S. Beck. Essas ilusões são criadas racionalmente para se proteger da falta de força de vontade em manter as restrições de um regime.

A justificação é um desses erros. "Eu mereço comer isto porque estou muito estressado", exemplifica Beck no livro Pense Magro. Segundo a autora, as pessoas fracassam ou voltam a engordar por não saber como fazer dieta.

Mesmo com a quantidade de dietas que proliferam a cada dia, vigiar o peso todos os dias é o único modo de se evitar o chamado "efeito sanfona", quando os quilos perdidos retornam em poucos meses. Os medicamentos mais eficientes acarretam efeitos colaterais e não mudam a maneira de pensar sobre o consumo calórico.


Os números de obesidade nos Estados Unidos --aproximadamente dois terços da população adulta e crescente entre crianças e adolescentes-- transformou o sobrepeso em questão de saúde pública para os norte-americanos. Esses números também aumentam a cada ano no Brasil.

A autora procura mostrar a necessidade de se exercitar, superar as desculpas usadas para comer exageradamente, resistir aos alimentos tentadores e aprender a dizer "não, obrigado" quando alguém insiste em oferecer mais comida. Pense Magro apresenta o programa de seis semanas criado pela terapeuta. O método se fundamenta em mudar a maneira de se relacionar com a comida, cristalizando hábitos saudáveis e evitando situações alimentares que fogem do controle.

O "Livro de tarefas Pense Magro" e "Pense Magro por toda a vida" completam o programa de emagrecimento.

Diretora do Instituto Beck de Terapia Cognitiva e professora de psicologia na Universidade da Pensilvânia (EUA), ela também assina os livros "Terapia Cognitiva para Desafios Clínicos" e "Terapia Cognitiva" entre outros, e é filha do psicoterapeuta Aaron T. Beck, fundador da terapia cognitiva.

(fonte: www1.folha.uol.com.br)

Nenhum comentário:

Postar um comentário