11 de set de 2013

Proteínas vegetais...inclua já na sua dieta!

Seguindo a linha da postagem recente: "Proteína não é só carne e ovo", vamos aprender um pouco mais sobre outras fontes de proteína que podemos incorporar a nossa alimentação.

As proteínas de origem vegetal são extremamente benéficas à saúde, principalmente, pelo baixo teor de gordura que as acompanham.

São ricas em fibras, vitaminas, sais minerais, com baixo teor de gorduras saturadas e não possuem colesterol.

Com isso, indivíduos que apresentam dietas com maior consumo de proteínas vegetais, em substituição às de origem animal, apresentam menor prevalência de doenças crônicas, como por exemplo, diabetes, obesidade e doenças cardiovasculares.

Além da saúde, a natureza também agradece pela escolha de opções mais saudáveis, como os alimentos de origem vegetal, uma vez que o consumo de proteínas de origem animal é prejudicial ao meio-ambiente, aumentando a poluição, as áreas de desmatamento e o consumo de água e combustíveis fósseis.

Os alimentos de origem vegetal, com destaque para leguminosas e grãos integrais, são considerados fontes incompletas de proteínas.

Para corrigir esse déficit protéico, os alimentos de origem vegetal precisam de associações para formar uma proteína completa e, assim, fornecer todos os aminoácidos essenciais para o nosso organismo.



Seguem alguns exemplos de combinações:
- arroz com feijão
- pão integral torrado com sopa de ervilha
- pão integral com creme de amendoim
- tofu com sementes de gergelim
- arroz com soja

Conheça agora as propriedades dos principais tipos de proteínas vegetais:

SOJA: é praticamente uma fonte completa de proteínas. Além disso, é rica em isoflavonas, vitaminas do complexo B e fibras. Ótima opção para saladas;

QUINOA: reconhecida pela FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) como um alimento perfeito para o consumo humano. Contém 16 aminoácidos essenciais, o que a torna uma proteína de alto valor biológico. É fonte ainda de zinco, magnésio, potássio, manganês, ferro, vitaminas do complexo B, fibras e ômegas 3 e 6. Os grãos de quinoa necessitam de cozimento e podem ser utilizados em sopas, saladas e tabules. Já os flocos podem ser acrescidos diretamente em iogurtes, saladas de frutas e vitaminas;

AMARANTO: é rico em proteínas, fibras, vitaminas e minerais, como cálcio, ferro e zinco. Os flocos de amaranto são excelentes para incrementar saladas de frutas, iogurtes, sucos e vitaminas;


LEGUMINOSAS (feijões em geral, ervilha, lentilha, grão-de-bico, favas, dentre outras): excelentes fontes de proteínas, fibras, carboidratos complexos, vitaminas do complexo B, ferro, potássio, zinco, fósforo, magnésio e cálcio. Não possuem colesterol e apresentam baixo teor de gordura e sódio. Boa pedida para sopas e saladas;

OLEAGINOSAS: castanha de caju, castanha do Brasil, amêndoas, pistache, nozes, avelãs e amendoim. Possuem considerável teor de proteínas em sua composição, além de fibras, antioxidantes e gorduras insaturadas, aliadas à saúde do coração.


Todos os alimentos acima descritos são ricos em fibras que, por sua vez, quando entram em contato com a água no interior do estômago formam uma espécie de "esponja" que favorece a saciedade, ou seja, reduz o apetite, sendo um coadjuvante no processo de emagrecimento. Além disso, controlam os níveis de glicose plasmáticos e regularizam a função intestinal. O seu consumo regular reduz também os níveis sanguíneos de colesterol e triglicérides, prevenindo dessa forma, as doenças cardiovasculares.

(fonte: www.mundoverde.com.br)