25 de out de 2013

A Goji Berry emagrece? Na verdade não...

A Goji Berry é uma fruta de origem chinesa que pode ser encontrada desidratada ou em pó.

Rica em vitamina C, alguns artigos relatam que em 100g da fruta encontramos 42mg do nutriente, há outros que defendem que contém 2500mg; mas mesmo no primeiro dado, mais modesto, já se trata de um valor considerável de vitamina C. Recomenda-se 75mg diárias de vitamina C para mulheres e 90mg para os homens. E é por ser rica em vitamina C que a fruta tem gerado tanto interesse no campo do emagrecimento. Tudo porque um estudo da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, sugere que pessoas que não ingeriam níveis adequados de vitamina C tinham uma menor capacidade de queimar gordura do que aquelas que tomaram cápsulas do nutriente. Essa vitamina participa ativamente dos nossos processos metabólicos.

 

A carência de vitamina C talvez prejudique o trabalho das células, que, assim, deixam de usar a energia de forma eficiente. Porém, no trabalho americano, os dois grupos seguiam uma dieta restritiva, fator este que pode ter influenciado no resultado...Ao final de um mês, não houve diferença significativa na perda de peso entre os grupos, ambos perderam 4kg em média.

Ou seja, por mais que os defensores da Goji usem o estudo como argumento, é o controle de calorias em si que importa para ficar em forma.

Por isso, não adianta se entupir de fontes de vitamina C, como a Goji Berry, e esperar perder peso. Sem uma dieta equilibrada e a prática de exercícios físicos, não há alimento que sozinho faça milagres. Mas apesar de a vitamina C não induzir a queima de gordura, ela é crucial em outros aspectos, fortalece o sistema imunológico e isso, por si só, já justificaria o consumo da frutinha.

Vitaminas à parte, se o seu principal objetivo é perder peso, saiba que a Goji Berry tem seu valor, pois na escala de índice glicêmico (IG), ela soma ínfimos 29 pontos e alimentos com menos de 50 pontos são considerados de baixo IG.

A vantagem de ter baixo IG é que como eles não fazem os níveis de glicose na corrente sanguínea disparar, o pâncreas não precisa liberar de vez uma alta dose de insulina na circulação para dar conta de todo o açúcar excedente. O que é ruim porque uma das funções da insulina (além da retirada de glicose da corrente sanguínea) é armazenar energia no corpo – inclusive na forma de gordura. Daí a importância de priorizar alimentos com baixo IG.

Ou seja, até aqui as frutas brasileiras não deixam nada a desejar em relação à Goji. Afinal, temos uma porção de variedades abarrotadas de vitamina C, como laranja, acerola e goiaba, e muitas outras com baixo índice glicêmico, caso da pêra e da maçã. Em vez de apostar em um item caro, que nem é cultivado no Brasil, vale mais a pena saborear as espécies regionais. Mais uma vez, isso não significa que a Goji deva ser jogada para escanteio. Ela possui, sim, diferenciais interessantes – só que não por seu atributo emagrecedor.

(fonte: www.endocrinonews.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário