9 de jul de 2014

Você conhece o lactobacillus que age no controle do peso?




As ações e benefícios dos probióticos alimentam as publicações científicas e médicas. Os seus benefícios para a saúde não param de suscitar novas esperanças!

Os probióticos são microrganismos vivos que – quando consumidos em quantidades adequadas – produzem efeitos benéficos, tanto ao nível digestivo como sistêmico. Dentre as inúmeras estirpes de probióticos, um gênero bacteriano está particularmente bem representado – o dos lactobacilos que colonizam geralmente os intestinos e a vagina, com ações muito diversas e que têm a capacidade:




    • de aliviar o síndrome do cólon irritável;
    • de restabelecer o equilíbrio da microflora;
    • de diminuir as diarreias diversas;
    • de otimizar as funções imunitárias naturais do organismo;
    • de proteger contra o vírus da gripe;
    • ou ainda impedir a colonização da mucosa gástrica por Helicobacter pylori.


Lactobacillus gasseri, uma estirpe que se encontra naturalmente no leite materno humano, faz parte destes microrganismos indispensáveis ao equilíbrio global. Uma descoberta recente vai permitir utilizá-lo para muito além destas indicações, num outro domínio muito diferente: o do controle do peso. 

Segundo alguns estudos, o consumo de Lactobacillus gasseri permite uma redução da adiposidade abdominal. Um estudo japonês duplo-cego envolvendo 210 adultos portadores de adiposidade abdominal durante doze semanas permitiu evidenciar claramente que o uso de Lactobacillus gasseri diminui consideravelmente o IMC (índice de massa corporal), o perímetro da cintura, o perímetro do quadril e a massa gorda abdominal em 8,5%, ao passo que no grupo de controle nenhum destes parâmetros sofreu qualquer diminuição significativa. Contudo, para que o efeito possa perdurar, é necessário o uso regular. 

Uma descoberta, publicada na revista Nature em 2006, já tinha evidenciado que as populações microbianas do intestino são diferentes nas pessoas gordinhas e nas pessoas magras, e que quando os indivíduos obesos perdem peso a composição da sua microflora se torna idêntica à observada nos indivíduos que possuem um IMC normal, o que sugere que a obesidade pode ter um componente microbiano. 

Um outro estudo realizado com ratinhos demonstrou igualmente que o consumo de L. gasseri não só fez diminuir o peso e a gordura corporal, como também o nível de glicose em casos de diabetes tipo 2. Os ratinhos foram divididos em três grupos. Ao primeiro grupo foi dada uma alimentação normal, ao segundo uma dieta rica em sacarose e ao terceiro grupo a mesma dieta rica em sacarose e um suplemento de Lactobacillus gasseri, por um período de dez semanas. 

No final deste estudo ficou demonstrado que a administração de L. gasseri reduziu consideravelmente o peso corporal e o tecido adiposo dos ratinhos que tomaram o suplemento e permitiu revelar uma verdadeira atividade “anti-diabetes de tipo 2”. 

Os adipócitos sub-cutâneos são a principal fonte de leptina e de adiponectina. A leptina é um hormônio adipocitário que controla o peso através da regulação da ingestão alimentar e do gasto energético. A concentração de leptina está intimamente ligada à porcentagem de gordura corporal, sendo os níveis séricos mais elevados sempre encontrados nos indivíduos obesos. Segundo este estudo, a administração de L. gasseri suprimiu a subida da leptina plasmática, o que sugere que a redução da massa gorda e do peso está associada a uma diminuição da leptina no soro. Efeitos semelhantes haviam já sido observados em outros estudos. 

E por último, o GLUT4 é um dos principais veículos de transporte da glicose nos músculos esqueléticos e no tecido adiposo. Sabe-se que um aumento da expressão do gene GLUT4 no tecido adiposo melhora a resistência à insulina associada à diabetes de tipo 2. Neste estudo, o L. gasseri aumentou significativamente a expressão do gene GLUT4 no tecido adiposo. E assim, o nível de insulina diminuiu de forma significativa. Sabendo que nos casos de pré-diabetes o aumento da glicose no sangue estimula a secreção de insulina e que a hiperinsulinemia é frequentemente acompanhada de obesidade, o consumo de L. gasseri permitiria reduzir a resistência à insulina e, consequentemente, melhorar os estados de pré-diabetes. 

Estes resultados sugerem então que:

    • a ação anti-obesidade do L. gasseri pode ser atribuída ao bloqueio da leptina;
    • a atividade anti-diabética do L. gasseri pode ser atribuída ao aumento de GLUT4 e a níveis reduzidos de insulina.
Em suma, o probiótico L. gasseri permite reduzir o peso corporal e a adiposidade baixando os níveis de leptina e de insulina, o que sugere que pode facilitar o tratamento da síndrome metabólica. 

A fácil administração e a total inocuidade desta nova substância a tornam uma grande aliada tanto pelos seus efeitos no sistema digestivo como no equilíbrio do peso. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário